domingo, 29 de março de 2009

Mineiro não concorda com Wilma e apoia greve dos professores

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) não concorda com a governadora Wilma de Faria (PSB) que tachou a greve da educação de “irresponsável”,ele apoia a greve dos professores.

Leia abaixo artigo publicado no seu blog:

Um olho no Piso, outro no Plano

Em vários estados e municípios brasileiros os profissionais da educação básica pública se mobilizam, legitimamente, em defesa de melhorias de seus salários e de suas condições de trabalho. Aqui no Rio Grande do Norte os educadores da rede estadual e os da municipal de Natal, e de várias outras cidades, estão em greve há dias.
Acompanho e apoio estas mobilizações por serem mais do que justas. Além disso, se tratam de lutas desencadeadas para se garantir aos educadores o que lhes é assegurado por lei. Por incrível que pareça, os atuais embates buscam garantir o cumprimento da Lei do Piso Nacional e o das leis específicas que regem os planos de carreiras estadual ou municipais.
Daí que tenho dito que, para se entender este conflito, é preciso ter um olho no Piso e outro no Plano.
O Piso Salarial Profissional Nacional é assegurado pela Lei 11.738, de julho de 2008 e sua implantação é obrigatória para todos os estados e municípios a partir de janeiro deste ano. Esta lei determina que os entes federados não poderão fixar o vencimento inicial das carreiras do magistério público, para uma jornada de 40 horas semanais, em valores abaixo do Piso. Como se sabe, o Piso é de R$ 950,00 (sem o reajuste) e pode ser aplicado proporcionalmente, de acordo com a carga horária.
Para cumprir a Lei do Piso, o Estado do Rio Grande do Norte, por exemplo, deve assegurar que o professor de nível médio, no início de carreira, não receba menos do que R$ 681,00, para uma jornada de 30 horas. Chega-se a este valor aplicando-se a proporcionalidade das 30 horas semanais e levando-se em consideração que, em 2009, é obrigatório o pagamento de dois terços da diferença entre o Piso (R$ 712,50 para 30 horas) e o vencimento inicial, em dezembro de 2008.
Mas, além da lei do Piso, estados e municípios estão obrigados a cumprir as leis que regulamentam os planos de carreiras e salários específicos. E estes planos definem as progressividades entre os diversos níveis salariais existentes entre os profissionais da educação. Estas progressividades são definidas de acordo com a qualificação profissional dos educadores e de acordo com o tempo de serviço. Quando se altera o salário inicial, devem ocorrer alterações nos demais níveis.
Aqui em nosso Estado, o Plano de Cargos e Salários é a Lei Complementar 322, de 11.01.2006, que define classes e níveis da carreira dos educadores potiguares. Esta Lei garante, por exemplo, que, no início de carreira, um educador com formação de nível superior receba 40% a mais do que um educador com formação de nível médio. Ou, ainda, que os educadores recebam 5% sobre o salário inicial a cada dois anos de serviços prestados. Estes mecanismos são chamados de promoções vertical e horizontal, respectivamente.
Para garantir a legalidade é preciso que os governos cumpram, ao mesmo tempo, a Lei do Piso e a Lei do Plano. Como foi dito, pela Lei do Piso o vencimento de um profissional de nível médio da rede pública do RN deve ser, no mínimo, R$ 681,00 no início de carreira. Assim, como um profissional de nível superior deve receber, no início de carreira, 40% a mais do que um de nível médio, o seu salário inicial deve ser de R$ 953,40, como assegura o Plano de Cargos e Salários. E, sobre estes vencimentos, devem-se aplicar as gratificações sobre tempo de serviço.
Cumprir a Lei do Piso e não cumprir a Lei do Plano, ou vice versa, é desrespeitar um direito da categoria. E o descumprimento de uma ou de outra, ou das duas, por parte dos governos estadual e municipais é a causa principal das mobilizações e greves que ocorrem atualmente, paralisando a oferta da educação pública a milhares de jovens e adolescentes.

Óbvio que a crise agrava este quadro e condiciona o atendimento total das justas reivindicações dos educadores. Mas é necessário que se tenha a mais absoluta transparência diante dos números e dos recursos públicos. Se não se pode atender por completo o conjunto das legítimas reivindicações, que sejam apresentadas propostas de negociações que, reconhecendo os direitos, apontem para o cumprimento das leis que regem a carreira dos profissionais da educação das redes estadual e municipais. Nosso mandato parlamentar sempre esteve e estará à disposição para buscar a mediação entre os governos e a nossa categoria.

Fernando Mineiro
Deputado Estadual PT/RN

INOVAÇÃO DO VOTO ELETRÔNICO

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto apresentou ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva projeto que a partir de 2014 os brasileiros não precisarão mais justificar o voto, caso não estejam presentes em seus domicílios eleitorais; um cartão eletrônico, um chip e informações digitais permitirá que os eleitores votem em qualquer cidade que estiverem no dia da eleição.


Para pôr em prática essa tecnologia a favor da democracia, o TSE pede ao Governo Federal uma verba de R$ 250 milhões neste ano para comprar de 100 mil urnas adaptadas para o novo processo, as urnas biométricas que permite reconhecer o eleitor pela digital. O presidente Lula ficou entusiasmado, segundo o ministro Carlos Ayres Britto. O ministro Ayres Britto ainda afirma que isso fortalece o processo democrático e o combate aos crimes e fraudes eleitorais.

É uma boa ideia, assim não precisarei ir ao Ceará a cada dois anos para votar. Votarei nos candidatos que confio serem a melhor opção para minha cidade e meu estado e terei a certeza de que serei bem representado nos poderes.

Rubinho está de volta na Fórmula 1

No GP da Austrália cheio de ultrapassagens e acidentes, a equipe BRAWN GP estreante na formula 1, conseguiu seus primeiros pontos com a dobradinha dos pilotos Jenson Button (ING) e Rubens Barrichello (BRA). Nessa madrugada de domingo em Melbourne na Austrália, o brasileiro Rubens Barrichello deu a volta por cima e terminou a prova em segundo.

sábado, 28 de março de 2009

SEEC quer cortar ponto de professores da rede estadual

Ruy Pereira diz que esgotaram todas as formas de negociação

O secretário estadual de Educação, Ruy Pereira, ameaçou cortar o ponto dos professores que estão em greve há 26 dias, caso não retornem às atividades na próxima semana. O anúncio foi feito ontem, quatro dias após o secretário afirmar em entrevista a uma emissora local que não iria tomar nenhuma medida de pressão contra o movimento grevista, já que o Governo Wilma de Faria “apostava no diálogo e na negociação”. Na assembleia realizada na manhã de ontem, os professores decidiram por unanimidade manter a paralisação, justificada com resistência do Governo em avançar nas negociações.

A coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte-RN), Fátima Cardoso, assegurou que a categoria não teme a um provável desconto salarial. “Se a governadora Wilma firmar o corte, ela estará confirmando o seu autoritarismo”, declarou. O secretário Ruy Pereira, entretanto, alegou que todas as possibilidades de negociação já foram esgotadas nos cinco encontros realizados nos dois últimos meses. “Consideramos legitima a luta do sindicato, mas o governo já cedeu no que podia”.

Ruy Pereira justificou que, durante todo esse tempo, respeitou o direito dos grevistas em negociações consideradas “respeitosas”. Agora, seria o momento de assegurar o direto dos mais de 300 mil alunos que estão sem aula, mesmo que para isso seja necessário tomar medidas mais duras. “O Governo vai garantir as aulas, conforme assegurado na Constituição. E para isso, vamos tomar todas as medidas necessárias”, destacou.

De acordo com o secretário de Educação, o Governo assegurou uma letra (correspondente a 5% do salário) para 18.298 educadores a partir de abril. Além disso, prometeu pagar todas as promoções horizontais acumuladas desde a implantação do Plano de Cargos Carreiras e Salários, valor correspondente a R$ 10 milhões. Ruy Pereira lembrou não há como ampliar os benefícios, já que o Estado vai perder cerca de R$ 400 milhões na arrecadação deste ano. “Quando o Estado se recuperar financeiramente, voltaremos às negociações. Até então é temerário, sob pena de futuramente não poder honrar seus compromissos”.

Os professores insistem na luta pelo aumento salarial de 17%, assim como a inclusão de todos os profissionais da educação no plano de carreira da categoria, o que incluiria os educadores infantis. Outra reivindicação é o cumprimento deste plano de carreira e incorporação das gratificações ao salário dos profissionais. O movimento recebeu o apoio declarado do deputado estadual Fernando Mineiro, que pela primeira vez - desde o início da greve – participou da assembleia. Ele enfatizou que, apesar de ser governista, não apóia a postura atual do governo perante à paralisação. A próxima assembléia está prevista para terça-feira (31) às 14 horas, na Praça em frente ao Palácio da Cultura. Antes disso, os professores se reúnem na segunda-feira (30), quando promovem um “panelaço”, a partir das 8 horas, em frente à Secretaria Estadual de Educação.

Rede municipal retoma aulas na segunda-feira

Os alunos da rede municipal de ensino terão aula a partir desta segunda-feira. Após 26 dias de paralisação, os professores decidiram ontem à tarde suspender a greve, em votação quase unânime realizada durante assembleia na Escola Estadual Winston Churchill. A decisão foi motivada pelos avanços na negociação convocada pela própria Prefeitura do Natal, na tarde de quinta-feira.

A prefeita Micarla de Souza se comprometeu em retirar as ações judiciais contra o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte-RN), bem como ampliar o diálogo com a categoria.

“Houve um avanço significativo. Agora vamos nos manter na vigilância permanente para o cumprimento das proposta”, avaliou a coordenadora do Sinte, Fátima Cardoso. As medidas resultantes da negociação foram registradas em ofício distribuído a todos os professores presentes na assembleia, o que motivou a votação – com apenas um voto contra – pela suspensão do movimento.

Dentre os avanços estão o pagamento retroativo de 5% das perdas salariais, considerando a partir do mês de janeiro; a discussão do piso salarial de acordo com o Plano de Carreira; a apresentação de uma proposta de emenda à lei da data base para o mês de janeiro de 2010; a retirada das ações judiciais decorrentes da greve, e a instalação de uma Mesa Permanente de Negociações, a partir do dia 30 de junho de 2009. Ficaram mantidas, ainda, a proposta a extensão dos vales-transportes aos educadores infantis, e a futura incorporação destes profissionais ao Plano de Cargos, Carreira e Salários.

MANCHETES DE HOJE

Tribuna do Norte
Governo anuncia corte de ponto, após garantir diálogo

Jornal de FATO
Femurn ameaça fazerprotesto em Brasília

Gazeta do Oeste
ASG tenta assassinar reitor da Ufersa

Folha de S.Paulo
Investigação atinge outra obra da Camargo Corrêa

O Estado de S.Paulo
Corte no IPI dos carros vale por mais três meses

Jornal do Brasil
Governo segura preço dos carros

O Globo
Rio inicia construção de muro para proteger mata em favela

Correio Braziliense
Lula: "Não é hora de pedir aumento"

Estado de Minas
Sua chance de trabalhar no exterior

Diário do Nordeste

Casos de dengue duplicam em uma semana no Ceará

Rosalba tem apoio certo de Agripino e Garibaldi, diz jornalista

O jornalista Lauro Jardim da revista Veja fala sobre a política do RN.Leia o que ele diz:


Um palanque DEM-PMDB

O palanque de Serra no Rio Grande do Norte já está montado. A senadora Rosalba Ciarlini, do DEM, será candidata ao governo, com apoio de Garibaldi e do líder do DEM, José Agripino Maia.

Ao que tudo indica, mais difícil que a corrida ao governo será a disputa pelo Senado. Garibaldi e Agripino terão de tentar se reeleger disputando com a governadora Wilma de Faria, que lidera todas as pesquisas.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Wilma de Faria tacha greve de irresponsável

"Irresponsabilidade”. Foi o esse o termo usado pela governadora Wilma de Faria (PSB), para definir a greve dos professores da rede estadual de ensino. A declaração foi feita durante a chegada da governadora e sua comitiva ao Garbos Hotel, onde concederia uma entrevista coletiva, às 11h20.

Wilma de Faria foi recebida por um protesto comandado pelo sindicalista José Aldeirton, diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (SINTE). Portando cartazes e faixas, com palavras de ordem contra a governadora, um grupo de professores grevistas, acusava através de um carro de som, que o Governo do Estado não paga o piso salarial proposto pelo Governo Federal.

A governadora, ao descer do carro oficial, foi direto ao encontro dos manifestantes, que ocupavam a entrada principal do hotel, por onde Wilma e demais autoridades entrariam para o auditório do Garbos, onde seria concedida uma entrevista coletiva.

Depois de ouvir algumas cobranças de José Aldeirton, Wilma pediu o microfone que era usado pelo sindicalista, e fez um rápido, porém, duro discurso. “Eu não posso permitir que os alunos do Rio Grande do Norte fiquem sem aula, pois essa greve é uma irresponsabilidade”, declarou.

Cara a cara com Aldeirton e demais manifestantes, Wilma apresentou um breve relato sobre o piso que é pago pelo Governo do Estado aos profissionais da educação. Ela reafirmou que o Rio Grande do Norte é o Estado que paga melhores salários no Nordeste.

“Desafio a que vocês apresentem números que provem que nós não pagamos o piso nacional e que não temos os melhores salários em nível nacional”, disse a governadora. Ela acrescentou que o Governo paga melhores salários, até mesmo que escolas particulares do Estado.

Wilma afirmou que só vai negociar com o Sinte e os grevistas, depois que a categoria voltar ao trabalho. “Não posso permitir que essa irresponsabilidade continue”, declarou a governadora, numa referência a greve dos professores do Estado.

Neste momento, um grupo de pessoas que acompanhavam a governadora, aplaudiu o discurso. Ela devolveu o microfone, e caminhou para o interior do Hotel, ouvindo uma série de impropérios dos professores grevistas.

Wilma diz que não vai receber professores em Mossoró

A governadora Wilma de Faria rejeitou o pedido feito pelo Sinte, de Mossoró, para que ela receba uma representação dos grevistas em nível local.

“Eu preciso saber do secretário (de Saúde do Estado) Ruy Pereira, como é que está a negociação em Natal”, disse Wilma, descartando receber o Sinte de Mossoró para tratar da pauta de reivindicações dos grevistas.

A governadora considerou que o caminho natural, é o Sinte do Estado, com base em Natal, negociar com o secretário de Educação, Ruy Pereira, para que se chegue a um acordo e os professores voltem ao trabalho.

Wilma não descarta adotar medidas contra os grevistas, como já aconteceu com a Prefeitura de Natal, que recorreu ao Poder Judiciário que decretou a greve na capital, como ilegal. O Sinte promete continuar em greve e protestando.

COMENTO:

Mais uma vez, a governadora Wilma, demonstrando absoluto desrespeito ao movimento
docente e à greve em curso,desrespeita os professores, colocando-os no centro dos males de que a escola enfrenta. É necessário fortalecer a greve para responder de modo adequado e uníssono a esta agressão. Exigimos atenção por parte do governo.Situações como esta ocorrem em nossa categoria porque nós também somos culpados e aceitamos tudo. No máximo, apenas reclamamos e fazemos ocasionais greves morrendo de medo de corte de salário e de ameaças vazias do governo.Exigimos ser tratados com respeito governadora, recebemos indecentemente mal, trabalhamos em condições precárias.Não foi bem com esse modo de governar que a governadora obteve o voto de milhares de professores na eleição passada.Não Devemos deixar que destruam com o mínimo da dignidade que ainda nos resta!

quarta-feira, 25 de março de 2009

[Música] MOBRAL (Herbert Vianna)

Do que adiantam?
Placas. Bulas, instruões...
Do que adiantam?
Letras impressas das canções...
Do que adiantam?
Gestos educados, convenções...
Do que adiantam?
Emendas , constituições
Se o teto da escola caiu
Se a parede da escola sumiu
Sem dente o professor sorriu
Calado recebeu dez mil
E depois assistiu na Tevê
Em cadeia para todo Brasil
O projeto, a tal salvação
Prestou atenção e no entanto não viu
A merenda, que é só o que atrai
A cadeia para qual o rico vai
Despachantes, guichês, hospitais
E os letreiros de frente pra trás
Aos olhos de quem
Só aprendeu o bê-á-bá
Pra tirar carteira de trabalho
E não entendeu Zé Ramalho cantar
Vida de gado
Povo marcado
Povo feliz
.

Para morrer de inveja: escola pública "made in Japan"

terça-feira, 24 de março de 2009

As 10 Atrizes mais bonitas da história do cinema

Pesquisa realizada na Inglaterra, elegeu as mulheres mais lindas da história do cinema hollywoodiano. Clique nos nomes para ver as fotos.

PARA PENSAR

"Quem sabe adular também é capaz de caluniar."

Napoleão Bonaparte

Professores apresentam proposta de reparação salarial de 17,89%

Professores da rede estadual de ensino continuam em greve, mas a expectativa dos educadores é que o movimento esteja cada vez mais próximo de um desfecho. De acordo com o coordenador de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sinte), Rômulo Arnaud, os professores de Mossoró realizarão uma assembleia hoje, a partir das 9h, no auditório do Serviço Social da Indústria (Sesi) para decidirem os rumos da greve.

"Nós apresentamos uma contraproposta ao governo de reajuste por perdas salariais desde 2006 de 17,89%. Apresentamos também a proposta do pagamento de letras de 5% que estava previsto para agosto. Pedimos ao governo a antecipação para maio", disse Rômulo. De acordo com ele, até o momento o governo só formalizou propostas insuficientes para atender às expectativas e necessidades dos educadores.

"A gente quer uma proposta de reajuste linear, e até agora o governo só ofereceu os direitos que nós já temos. Além disso, os benefícios só contemplam alguns professores. Nós estamos há três anos sem reajuste e os aposentados não serão beneficiados e até agora o governo não apresentou uma proposta de reajuste", conta o coordenador.

Os professores da rede estadual estão em greve desde o dia 2 de março e entre as reivindicações em pauta, a principal é a implantação do piso salarial nacional. Rômulo ressalta ainda que os servidores da Educação reivindicam, entre outras coisas, "promoções e progressões; plano de cargos e carreira para os funcionários de escolas; além do pagamento de direitos atrasados; convocação dos professores aprovados no concurso de 2005 e realização de concurso para a contratação de funcionários", diz.
Omossoroense

CURTAS DO BLOG

Baixa o preço do petróleo, mas no Brasil gasolina não cai.

Mesmo com as frequentes quedas no preço do barril do petróleo, o consumidor brasileiro ainda não percebeu mudanças nos postos. É algo que precisa ser revisto pelo presidente, porque se o preço do petróleo está baixando, o preço da gasolina tem que baixar também.

Reforma ortográfica

As editoras de livros iniciaram uma revisão geral em quase todas as publicações. Dicionários e clássicos da literatura estão passando por uma avaliação criteriosa para respeitar as novas normas da Língua Portuguesa.


Cotas nas Universidades Federais

O senado voltou a discutir semana pasada o projeto de cotas nas universidades federais.De acordo com a proposta, 50% das vagas serão destinadas aos estudantes das escolas públicas. As vagas vão ser preenchidas seguindo a proporção de negros, índios e pardos em cada estado.


Veículos fabricados no Brasil devem ter airbag


Já é lei: todos os Carros fabricados no Brasil terão que sair das montadoras com airbag instalado. O presidente Lula sancionou projeto aprovado no congresso que torna obrigatório o equipamento de segurança. O airbag é um equipamento sofisticado que deve aumentar o preço dos carros em dois mil reais.

segunda-feira, 23 de março de 2009

SEM ACESSO À CULTURA

Assistindo ao jornal nacional de hoje, pude perceber o retrato feito pelo ministério da cultura sobre o acesso a produtos culturais em nosso país. São dados estarrecedores.


Os números mostram que 90% das cidades não têm cinema, teatro ou museus. Só 14% dos brasileiros vão ao cinema e 93% nunca foram a uma exposição de arte. Uma das propostas do ministério é criar o vale-cultura, no valor de R$ 50 por mês, que as empresas distribuiriam aos empregados nos moldes do vale-refeição.

ENTREVISTA: Senadora Rosalba Ciarlini


Senadora democrata Rosalba Ciarline: "no momento oportuno, vamos ouvir a voz do povo





Prefeita de Mossoró por três vezes e atual senadora da República pelo Democratas, Rosalba Ciarlini aparece hoje como pré-candidata ao Governo do Estado nas eleições de 2010. Em entrevista exclusiva ao Jornal Metropolitano, embora a senadora não confirme a sua candidatura ao Governo do Estado, ela vem se movimentando como tal, cumprindo uma agenda intensa na capital e em vários municípios do Rio Grande do Norte.


Na entrevista, a senadora fala sobre a prioridade do Democratas para as eleições de 2010, que é a reeleição do senador José Agripino. Ela falou também sobre a sua relação com o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) e a possível repetição da aliança feita em 2006, sobre sua experiência à frente da Prefeitura de Mossoró, do papel da prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV) nas eleições de 2010.


Atualmente, Rosalba é vice-líder do Democratas no Senado Federal e preside a Comissão de Assuntos Sociais (CAS).


Jornal Metropolitano: Senadora Rosalba Ciarlini, seu nome hoje é colocado como o de pré-candidata à sucessão da governadora Wilma de Faria. A senhora é candidata ao Governo em 2010?
Rosalba Ciarlini: Eu sou candidata a trabalhar honrando o voto que recebi do povo do Rio Grande do Norte para ser senadora na eleição de 2006. Falar se sou candidata ou não essa é uma questão que vai ser tratada só em 2010. No momento oportuno, eu discutirei este assunto.

JM: Em todas as pesquisas de opinião sobre os possíveis candidatos ao governo do Estado em 2010 o nome da senhora está presente. Como a senhora analisa esse fato?
Rosalba Ciarlini: Eu nunca disse que sou candidata e que serei candidata. Volto a repetir, não serei jamais candidata a qualquer cargo político se for apenas uma decisão do partido ou minha. Sempre decidirei meu rumo político ouvindo a voz das ruas. Atualmente, por onde passo, de forma espontânea, tenho que reconhecer que meu nome tem sido lembrado. Inclusive, o próprio senador José Agripino (DEM), em recente entrevista, disse que o meu nome estava surgindo das ruas, era a vontade do povo que estava sendo expressa nos mais diversos recantos do Rio Grande do Norte. Mas, como disse anteriormente, isso é uma questão para ser analisada só em 2010.

JM:
A senhora não admite que é candidata ao governo, mas cumpre há tempos uma agenda como se fosse candidata, inclusive percorrendo todo o estado. Como justifica essa agenda tão pesada?
Rosalba Ciarlini: Essa agenda vai continuar como tem sido desde o primeiro dia que assumi o senado. Porque esse foi um dos compromissos que declarei quando me coloquei como candidata ao cargo para a população do Rio Grande do Norte. Ser uma senadora presente nos municípios, nas reuniões de líderes comunitários, com prefeitos, e nos mais diferentes encontros ouvindo sempre a população para que pudesse melhor interpretar as vontades, os sonhos e os anseios do povo. Fui assim quando fui prefeita de Mossoró, ao caminhar diariamente pelas ruas e bairros da cidade, e serei assim como senadora. Esse é o meu jeito de trabalhar.

JM:
E nessas suas visitas às cidades do interior, o que a senhora tem ouvido do povo?
Rosalba Ciarlini: Eu tenho que ser honesta e dizer que realmente em todas as cidades que eu caminho, nas ruas de Natal, chego no supermercado, no posto de gasolina, no cabeleireiro, nos lugares que eu frequento normalmente, porque sou uma cidadã e tento levar uma vida comum, escuto esse apelos para que me candidate. Isso me deixa muito gratificada porque, se meu nome é lembrado, isso é uma prova de que o trabalho que estamos fazendo conta com o reconhecimento da população. Interpreto não como um ponto positivo, mas como a aceitação do meu trabalho.

JM: A senhora foi prefeita de Mossoró por três vezes. O senado veio em seguida, por isso seus adversários sempre restringiam sua atuação política à Mossoró e municípios adjacentes. A senhora acredita que hoje é uma líder política estadual?
Rosalba Ciarlini: Eu sou uma trabalhadora pelo Rio Grande do Norte, foi essa missão que o povo me deu. E quando fui prefeita a minha obrigação e meu dever era cuidar da cidade, e a minha avaliação pessoal é que cuidei bem daquele município. Até porque fui eleita por três vezes e, ao me candidatar ao cargo de senadora, o que muito me dignifica foi a votação que eu tive de 84% na cidade onde fui prefeita. E onde passava como candidata, as pessoas tinham uma referência de Rosalba, do trabalho que fiz em Mossoró. Agora como senadora minha responsabilidade é todo o Rio Grande do Norte, ou melhor, com todo o Brasil porque o Senado tem essa responsabilidade maior, a Casa Maior do Legislativo. Por isso tenho tido todo empenho com todas as cidades para encontrar soluções, ajudando os prefeitos, e em defesa das questões que falam ao cidadão de saúde, aposentadoria, o direito da mãe pra ter a creche do seu filho. Conseguimos, por meio de emendas ao orçamento, mais recursos na educação que vão beneficiar não somente o Rio Grande do Norte, mas todo o Brasil.

JM: Depois que o nome da senhora apareceu como pré-candidata ao Governo do Estado alguns adversários políticos tem criticado a sua ação como parlamentar. O que a senhora tem a dizer a respeito disso?
Rosalba Ciarlini: Sinceramente, eu fico muito triste por saber que pessoas utilizam esses artifícios para atingir a minha imagem junto ao povo. Sempre lutei pelos interesses do povo, enquanto prefeita e agora como senadora não está sendo diferente. Eu, juntamente com os dois senadores (José Agripino e Garibaldi Alves Filho), temos representado bem o Rio Grande do Norte e temos conseguido recursos importantes para o nosso Estado. O problema é que essas informações não aparecem na grande mídia e também tem o fato de estarmos mais em Brasília do que no nosso estado, daí utilizam isso para dizer inverdades a meu respeito. Mas não me preocupo, pois sei que sou uma senadora atuante e que tem lutado pelo povo potiguar. Recentemente fui eleita por unanimidade presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal e vice-líder do Democratas no Senado. Tudo isso é reconhecimento do meu trabalho.

JM: O senador José Agripino disse recentemente que o seu nome pode ser posto pelo Democratas porque houve um clamor nas ruas. Como a senhora recebe essa lembrança?
Rosalba Ciarlini: Nosso partido tem um lema: fazer a vontade do povo. E se tiver que fazer, estou pronta e vou atender ao chamado do meu partido. Mas tudo isso, só pode ser discutido no momento certo. Esta é uma questão para ser analisada. Mas pode ficar certo que eu nunca fugi dos desafios.
JM: Qual a prioridade do Democratas em 2010? Uma eventual candidatura da senhora ao Governo do Estado? Ou a reeleição do senador José Agripino Maia?
Rosalba Ciarlini: O próprio senador José Agripino já colocou com muita clareza. É exatamente formar uma aliança, é estruturar o partido de forma que nós possamos seguir adiante com êxito. Mas é natural que o senador seja o nosso candidato. Até porque tem honrado e dignificado o nosso partido e, consequentemente, nosso Rio Grande do Norte. Mas, com certeza, sob a orientação do próprio senador, iremos fazer crescer o partido em termos de mais participação e mais presença tanto no Legislativo como no Executivo.

JM: Caso o DEM tenha que priorizar um dos projetos por conta de uma aliança, qual a prioridade?
Rosalba Ciarlini: O nosso líder e presidente estadual do Democratas, senador José Agripino já colocou com muita clareza que é natural que sua candidatura ao Senado seja prioridade, mas isso não quer dizer que nós não possamos ter também uma candidatura no Executivo, até porque tem muitos nomes para serem analisados dentro do nosso partido.

JM: A senhora consegue ver a possibilidade de o Democratas fazer uma aliança partidária e ficar com duas vagas na chapa majoritária, uma para o Governo e outra para o Senado?
Rosalba Ciarlini: Eu acho que, quando você forma uma aliança, você tem que pensar no todo. Se os nomes melhores estiverem no partido A ou no partido B nós vamos ter que fazer exatamente esse consenso e esse equilíbrio para que possamos ter a chapa que seja vitoriosa.

JM: A senhora admite abrir mão da sua candidatura ao governo em favor do senador José Agripino, caso sua candidatura possa atrapalhar a reeleição do senador?
Rosalba Ciarlini: A candidatura de José Agripino está posta. Supondo que a minha candidatura venha a ser inviabilizada pela candidatura do senador José Agripino reeleição, em virtude, principalmente, de uma posição aliança com outros partidos, nós vamos continuar fazendo o que o nosso partido faz: ouvir a voz do povo.

JM: O senador Garibaldi Alves Filho vê com simpatia a candidatura da senhora ao Governo em 2010. O PMDB é um aliado preferencial nessa disputa em 2010?
Rosalba Ciarlini: Eu tenho tido uma convivência muito positiva, não somente a que tivemos na campanha de 2006, na qual estivemos no mesmo palanque, mas a que temos aqui no Senado, e eu pessoalmente gostaria que pudéssemos manter a aliança que foi vitoriosa para a Prefeitura de Natal e acrescentarmos o PMDB.

JM: Líderes do DEM falam em manter a aliança que elegeu Micarla em Natal. Mas, nesta aliança, tem mais dois pré-candidatos ao Governo do Estado assumidos, Robinson Faria e João Maia. A senhora vê a possibilidade de conversar politicamente com eles até para que o candidato saia desse grupo?
Rosalba Ciarlini: Olha, a nossa determinação é que não é o momento de estarmos tratando dessas coisas. É, sim, o momento de trabalhar para ver se a saúde melhora, se a educação melhora, se a segurança melhora, se muita coisa melhora que é o que a população está clamando. E, no momento oportuno, ouvir a voz do povo, que já estamos ouvindo, vamos sim decidir em sintonia com a população, fazendo assim a vontade do povo. Bem, quem pode responder são eles, mas é legítimo que eles se coloquem se apresentem como candidatos. Acho que cada um tem a sua maneira de fazer, a sua maneira de ser. A minha maneira é trabalhar cumprindo a responsabilidade que recebi do povo do Rio Grande do Norte, aqui, como sua senadora.


JM: Diante da intenção do senador José Agripino em manter a aliança de Natal, a senhora poderá procurar esses pré-candidatos para tentar ganhar o apoio deles?
Rosalba Ciarlini: A minha orientação será partidária, em consonante sintonia com o partido.

JM: A senhora teve uma presença marcante na eleição de Micarla em Natal, participou de vários eventos, deu apoio necessário em palanque. O que a senhora tem a dizer a respeito disso?
Rosalba Ciarlini - Eu dei apoio antes mesmo do lançamento da candidatura de Micarla de Sousa. Eu tive a oportunidade de receber Micarla na minha casa, mesmo quando o próprio partido ainda não tinha definido. Porque eu sentia que a população de Natal via realmente Micarla como a opção para fazer um trabalho voltado na melhoria da qualidade de vida e mostrar que realmente Natal podia fazer melhor.


JM: A senhora acha que foi fundamental para a eleição de Micarla em Natal?
Rosalba Ciarlini - Fui fundamental para o povo que estava do lado dela. Eu estive caminhando com o povo, caminhando com Micarla, de porta em porta, nos bairros mostrando, discutindo com a população os projetos, os planos, as idéias que Micarla trazia para melhorar a vida do povo de Natal. Então acho que o fundamental foi exatamente a vontade do povo.


JM: Os Democratas esperam reciprocidade de Micarla em 2010, já que teve tanto empenho.
Rosalba Ciarlini - Olhe, nós continuamos apoiando a agora prefeita, inclusive quando da apresentação de emendas para Natal. Eu apresentei uma emenda para a infraestrutura urbana, até pelo conhecimento que tive maior na campanha de Micarla, caminhando por tudo, principalmente Zona Norte, alguns bairros da Região Metropolitana onde via problemas gravíssimos de drenagem, saneamento, então coloquei uma emenda que é de minha autoria no valor de R$ 30 milhões. Em função dessa crise mundial, houve um corte no orçamento e essa emenda ficou em R$ 15 milhões, mas que já é um recurso importante, pois Natal sofreu muito com as chuvas no ano passado. Micarla conta com o meu apoio e com o do senador José Agripino e do deputado Felipe Maia.


JM: O deputado Robinson Faria, presidente da Assembléia, logo após as eleições de 2008 deu declarações à imprensa de que o compromisso de Micarla para 2010, em termos de Governo do Estado, seria com ele. Isso será empecilho para a senhora buscar o apoio de Micarla, caso seja candidata ao governo?
Rosalba Ciarlini: O compromisso da prefeita Micarla é com o povo de Natal. O que for melhor para o povo de Natal tenho certeza que será a escolha da prefeita Micarla. Se eu for candidata ao Governo do Estado, vou, sim, bater na porta da prefeita Micarla e pedir-lhe o apoio, apresentando nossas propostas em favor de Natal e do Rio Grande do Norte. Mas isso, se ocorrer, deverá acontecer em momento oportuno.


JM: A senhora acredita que a prefeita de Natal ainda não firmou algum compromisso para o Governo?
Rosalba Ciarlini - Olha, a prefeita assumiu a prefeitura com problemas tão grandes, com tantas questões para serem solucionadas, a começar pela saúde, que é urgente, que não pode ficar para depois. Eu já fui prefeita e sei que não dá para fazer especulações, nem analisar o que vai acontecer em 2010. A preocupação dela maior, com certeza e por dever do mandato, é com Natal.


JM: Comenta-se que a senadora poderia deixar o Democratas para poder viabilizar a sua candidatura ao Governo do Estado. A senhora pensa em buscar uma outra legenda?
Rosalba Ciarlini: Já houve muita especulação a respeito da minha saída do Democratas. Eu vou repetir o que eu já lhe disse em outras ocasiões: não existe janela para filiação partidária. E se houver, que razões eu teria para deixar o meu partido?

JM: Então, a senhora não vê dificuldade em seu partido indicar seu nome ao Governo do Estado?
Rosalba Ciarlini: Em todos os momentos que fui convocada para ser candidata, o partido me deu apoio, porque todas as minhas candidaturas surgiram por convocações do povo, vieram das ruas. Foi assim quando fui candidata a primeira vez a prefeita de Mossoró. Eu era médica, trabalhava num posto de saúde e no meu consultório e de repente começou a voz do povo. Foi ela que me conduziu a ser prefeita de Mossoró. Para o Senado também foi assim. Quando eu deixei a prefeitura, onde chegava tinha esse questionamento, que eu não deveria deixar a vida pública, que deveria continuar, e o povo mesmo me perguntava: "Por que a senhora não vai ser nossa senadora?" Então foi também uma convocação do povo e o partido me deu total apoio. Então se for essa a vontade do povo eu tenho certeza que não haverá nenhuma dificuldade com meu partido.


JM: A senhora disse que a responsabilidade é do povo em decidir alguma candidatura. Segundo a senhora, o povo já está dizendo isso. Quando é que senhora vai fazer a vontade do povo?
Rosalba Ciarlini: Quando for o momento oportuno, porque nessa hora é prejudicial. Nós precisamos trabalhar e juntar forças, todos os representantes do Rio Grande do Norte, os senadores, os deputados, para que nós possamos fazer com que a nossa voz seja ouvida e interprete bem o clamor do povo do nosso estado.


JM: A senhora tem feito oposição declarada ao governo Wilma de Faria. Isso pode ser considerado uma prévia das eleições de 2010?
Rosalba Ciarlini: Não é que eu tenha feito críticas pessoais à governadora Wilma de Faria, mas sim em relação a muitos problemas que o nosso estado enfrenta. Mesmo depois de seis anos de gestão, a administração estadual está provando não está à altura nem das expectativas que criou nem dos problemas que afligem a população. Os mesmos problemas registrados na segurança pública são encontrados na saúde, na educação e em outros serviços públicos essenciais. Nem os que apóiam o atual governo conseguem deixar de admitir que o estado tornou-se refém de uma administração que foi diminuindo de tamanho, frustrando expectativas, traindo compromissos assumidos com a população e abrindo caminho para a falência dos serviços públicos essenciais.


JM: Qual o principal problema que o Estado enfrenta hoje?
Rosalba Ciarlini: A segurança pública no Rio Grande do Norte é uma área crítica, mas um setor onde a grande obra do governo foi a crise permanente, fruto da falta de planejamento e da incapacidade de gestão. Apesar de os índices de violência de Natal e do Rio Grande do Norte não serem tão alarmantes como os de outros estados e municípios, se não houver uma correção de rumos, a tendência é a situação atual piorar. O caso é tao grave que as famílias estão procurando garantir sua própria segurança por meio da instalação de alarmes e cercas elétricas e da contratação de vigilância particular.

[greve do município] Justiça decreta ilegalidade e manda professores voltarem à sala de aula

Na manhã dessa segunda-feira (23), o Dr. Cícero Martins da 4ª Vara da Fazenda Pública, responsável pelo processo contra a greve dos professores em Natal, decretou ilegal a paralisação dos servidores.

De acordo com informações extraoficiais, o juiz havia considerado a greve abusiva e intransigente por parte do Sindicato e considerou que o piso salarial estabelecido por lei já era pago para a categoria.

Até o horário do fechamento do nosso jornal, o SINTE-RN (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Publica do RN) declarou que não havia recebido nenhuma notificação sobre a ilegalidade da greve. "Caso a greve for decretada ilegal, vamos acionar nossos advogados para procurar nossos direitos", afirmou a diretora do sindicato Marlene Souza.

A greve foi deflagrada do começo de março, cerca de um mês após o início do ano letivo de 2009. Os profissionais reivindicam a implantação do piso salarial nacional da categoria de R$ 950 para os professores do nível médio, que segundo o sindicato, ainda não foi adotado pela Prefeitura de Natal.

Os professores do município cobram, ainda, a reposição de 34% referente as perdas salariais dos últimos 13 anos, a inclusão dos educadores infantis no plano de cargos, carreiras e salários dos profissionais da educação, fim da avaliação de desempenho apenas do professor, mas também para todo o sistema de educação.

Correio da Tarde

[Pernambuco] Fábrica da Sadia emprega 1,5 pessoas e gera 4 mil indiretos

A nova fábrica da Sadia S.A., primeira unidade no Nordeste, localizada no município de Vitória de Santo Antão, a 50 quilômetros de Recife teve investimento da ordem de R$ 300 milhões, prevê a criação 1,5 mil empregos diretos e cerca de 4 mil indiretos quando a fábrica estiver em pleno funcionamento. A empresa produzirá embutidos, como mortadela, apresuntado, salsicha, linguiça cozida e lanche. A unidade tem capacidade para produzir 147 mil toneladas/ano e deverá gerar uma receita adicional à empresa da ordem de R$ 390 milhões por ano.

O projeto prevê ainda um novo centro de distribuição de 16,5 mil metros quadrados. Hoje, a companhia já mantém em Recife um CD que abastece todos os estados do Nordeste, com exceção de Bahia e Sergipe, e emprega 300 funcionários diretos. O empreendimento de Vitória de Santo Antão faz parte de um antigo projeto da companhia de instalar uma unidade fabril no Nordeste.

“Estamos dando um passo muito importante ao instalar essa nova fábrica em uma região de extrema importância para os nossos negócios. Estudos mostram que o Nordeste é onde o potencial de consumo mais cresce no país. No ano passado, a região teve um aumento de 25,4% em relação a 2007 e passou a região Sul, ficando em segundo lugar no ranking do consumo nacional, atrás apenas do Sudeste”,
afirma Luiz Fernando Furlan, Presidente do Conselho de Administração da Sadia. De acordo com relatório do Datamétrica divulgado no início do mês, Pernambuco é o Estado que mais deve crescer em 2009 com um aumento de 4,29% no PIB.

A nova fábrica contará com avançados processos tecnológicos relacionados à sustentabilidade, considerando a preservação do meio ambiente, das comunidades e de todas as partes interessadas que estão sob a área de influência do empreendimento. “Estou pessoalmente muito contente de inaugurar uma unidade que deverá ser referência no mercado no que diz respeito à sustentabilidade”, diz Luiz Fernando Furlan.

Para treinamento e qualificação gratuita de mão de obra de funcionários, a Sadia criou na região a escola Saber Sadia. O projeto, que foi implementado por meio de parceria com o governo estadual, a prefeitura de Vitória de Santo Antão, SENAI e outras entidades, tem como finalidade elevar o nível de capacitação profissional da população, permitindo o acesso destas pessoas às vagas que serão criadas pela Sadia ou por outras empresas que venham a se instalar no município. Cerca de 1040 pessoas já passaram pela escola.
Folha

PENSAMENTO

"É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar - bons cachês em moeda forte; ausência de censura e consumismo burguês. Trata-se de filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola..."


Roberto Campos (1917-2001)

O programa "censurado" (3 de 3)

O PROGRAMA "CENSURADO"( 2 DE 3)

O PROGRAMA CENSURADO

PETROBRAS EM GREVE EM TODO BRASIL

Funcionários da Petrobras entraram em greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (23) em todo o território nacional. A mobilização acontece por reivindicação de aumentos na participação dos lucros da empresa em razão dos grandes aumentos de lucros da estatal do petróleo.

RELAÇÃO DE ALUNOS DO CURSINHO CNSC APROVADOS NO VESTIBULAR DA UERN- 2009

ALEXANDRE VICTOR PAIVA PINHEIRO - Ciências sociais

ALINE RAYANE DE SOUZA MORAIS - Pedagogia

AMANGELY RAYANNE DE SOUZA RODRIGUES – Matemática

ANITA DE BRITO AMORIM – Ciências contábeis

EMANUEL MARCOS DA SILVA CARVALHO -Geografia

FRANCISCA MONICA DA SILVEIRA FREITAS -Espanhol

MARILIA JULLYETH BEZERRA DAS CHAGAS - ECONOMIA

MICHELE NUNES MONTEIRO DA COSTA –Espanhol

PEDRO VICTOR ALVES ACIOLY - GESTÃO AMBIENTAL

ESTERFSON GUILHERME CARVALHO PAIVA -C DA COMPUTAÇÃO

ISRAEL GAMA DE OLIVEIRA - C. CONTÁBEIS

JOAQUIM OCTAVIANO PINTO GOMES -
C. ECONÕMICAS

JOSUE SIZENANDO NETO
GESTÃO AMBIENTAL

LIDIA KALYNE DE OLIVEIRA ALVES
História

SARA MIKAELY LOPES DA COSTA
c. biológicas

TASSIO RICELLY PINTO DE FARIAS
Filosofia

WENDELL GURGEL DE SOUSA
c. da computação

MARIA WILLIANE DE LIMA SOUZA
Turismo

MARIA EDNA SOARES MOTA
c. econômicas

VANEIDE MAYARA ALVES CORIOLANO –Espanhol

JÉSSICA GOMES TAVARES- Língua inglesa

SELIANE DE OLIVEIRA PASCOLA- Pedagogia

ANDREY JAYSON GOMES NOBRE- Matemática


Obs:Esta relação está incompleta,brevemente atualizaremos com mais aprovados!


APODI COMEMORA 174 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA


Apodi completa hoje 174 anos de emancipação política.É provável que muitas pessoas façam as seguintes perguntas: Que importância tem isto para o cidadão comum? mas por que este tipo de preocupação? Que importância tem isto para o povo de Apodi? Vale a pena fazer a pergunta de outra forma e, comparativamente, colocar questões como: que importância tem para os brasileiros a celebração do dia sete de Setembro? Por que tanta festa nos Estados Unidos da América em face da data da revolução americana? ? Por que os franceses celebram a Tomada da Bastilha e o dia da sua bicentenária revolução? Por que os mineiros celebram o dia 21 de abril?

Acredito que a melhor resposta é o sentimento de orgulho do lugar onde se vive.A consciência de pertencer e ser membro de uma comunidade que tem sua história; é um momento muito importante para a construção da identidade coletiva e para estimular a auto-estima dos apodienses.

Assim, parabenizo a nossa cidade pela passagem de mais um ano de sua emancipação política, que nesta data comemoremos senão tudo que queríamos, mas aquilo que é possível.Pelo desenvolvimento aplausos, pelo que está faltando críticas e empenho, pelo que está errado cobrança e acerto, pelo que está certo elogios, pelo seu aniversário as bênçãos de Deus e da população o orgulho de ser apodiense.

OZAMIR LIMA

U2 lança vídeo oficialmente

U2 - Get On Your Boots

Ato público na barragem de Apodi sofre esvaziamento estratégico da classe política

O ato público realizado ontem na cidade de Apodi para cobrar benefícios ligados a barragem de Santa Cruz acabou marcado por um detalhe preocupante.

De todos os convocados da classe política, apenas um deputado estadual marcou presença: Gilson Moura (PV).

Diante da ampla lista de ausências, nem mesmo a prefeita Gorete Pinto compareceu ao ato, o que exigirá dos movimentos sociais do municipio repensar a fórmula de ação.

O resultado do evento realizado ontem deixa evidente que caso não haja a aplicação de uma ação energética e imediata, a principal conquista obtida pela sociedade local poderá ser enterrada sem direito a retorno.

Natural que diante dos episódios registrados desde meados de 2008, o poder de mobilização perca força, mas caso a sociedade cruze os braços, o preço a ser pago poderá ser ainda maior.

Volto.
Fonte:Giro pelo estado

Deixe seu comentário e entre para o rol dos comentadores!

domingo, 22 de março de 2009

Tudo é uma questão de consciência

VAMOS ECONOMIZAR

BRASIL O PAÍS MAIS RICO DO MUNDO

Moto polui mais do que carro

Arnaldo Antunes e Nando Reis - Não Vou me Adaptar

Serra 36% e Dilma 18%

O número que você viu aí no título se refere à porcentagem de votos que esses candidatos têm entre os brasileiros com nível superior. Mas o leitor deve estar se perguntando, mas não é nesse segmento que o governo Lula tem seus piores índices, então por que Dilma está melhor entre eles? Pois então, pesquisa se lê assim, nas entrelinhas, não nos seus números absolutos.

O próprio DataFolha na sua página virtual dá indícios do que leva Dilma a ter 11% no geral e 18% entre os eleitores de nível superior.

Veja o trecho a seguir que extrai da análise do Datafolha:

“José Serra é o provável candidato à Presidência mais conhecido pelos brasileiros. 95% dos entrevistados afirmam conhecê-lo, mesmo que apenas tenham ouvido falar do tucano. Desses, 39% se dizem bem informados, 43% se consideram mais ou menos informados e 13% se dizem mal informados a respeito de Serra.

Dilma Rousseff é a provável candidata à Presidência menos conhecida pelos brasileiros: 52% afirmam ter conhecimento da existência ministra da Casa Civil, percentual similar ao dos que dizem não conhecê-la (48%). Dos que conhecem, 12% se dizem bem informados, 24% mais ou menos informados e 16% mal informados a respeito dela. Entre os brasileiros que moram na região Sul a taxa dos que dizem conhecê-la chega a 60%.”

Vou fazer umas contas pro leitor entender o que significa o nível de desconhecimento de Dilma. Apenas 52% sabem que ela existe. Outros 48%, claro que principalmente os de renda e escolaridade menores, onde se encontra o principal apoio ao governo, nunca ouviu falar da ministra.

Mas há números mais significativos ainda. Entre esses 52% apenas 12%, ou seja, aproximadamente 6% do total de brasileiros, se dizem bem informados sobre ela. Ou seja, 94% não se consideram bem informados sobre Dilma. E ela já tem 11% dos votos totais. É muita coisa. Não pouca, como alguns analistas estão tentando demonstrar.

Afora isso, a pesquisa ainda tem um outro dado importante a destacar. Fiz um recorta e cola da página do DataFolha pra não ter erro.

“Quando solicitados a dizer espontaneamente em quem gostariam de votar para presidente da República em 2010, um quarto (25%) dos brasileiros declaram a vontade de reeleger o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). José Serra é mencionado espontaneamente por 6% e Aécio Neves e Dilma Roussef são citados por 3% dos entrevistados, cada.”

Ou seja, esses 25% Lula vai transferir sem muita dificuldade. Por isso, num post anterior havia dito que Dilma deve chegar a 20% até o final do ano. E reafirmo. Isso só não vai ocorrer se a crise vier com um intensidade maior do que qualquer previsão. E nesse caso, talvez o tsunami não atinja só Dilma, mas também Serra.

Os 36% a 18% entre os brasileiros de nível superior, base principal dos tucanos, é um número muito mais significativo do que o resultado geral. Mas por que será que ninguém tratou dele? Será que é por que nossa mídia já elegeu antes do povo quem deve ser o próximo presidente da República? Será que é porque o Gilmar Mendes prefere o Serra à Dilma, e os nossos editores e diretores de redação têm medo do Gilmar Mendes.

Aliás, que mal lhe pergunte, caro leitor, você tem medo do Gilmar Mendes?

Eu morro de medo de sonhar com ele.
Fonte:forum

Banana contra a hipertensão!

Novas sobre a banana!!! Aliada ao baixo consumo de sal, descobriu-se que a fruta é eficaz contra a hipertensão. Por ser rica em potássio, a banana ajuda na elasticidade das artérias, evitando o aumento da pressão sanguínea. Grosso modo:

Quando você ingere quantidades de sal além das necessárias ao organismo, o sódio rentém mais líquido no corpo, que por sua vez eleva o volume do sangue nas artérias e consequemtemente, aumenta a pressão sanguínea. E a banana entra justamente aqui. Segundo as novas pesquisas, o potássio, encontrado em boa quantidade na banana, aumenta a elasticidade das artérias, melhorando o fluxo sanguíneo, evitando aumento da pressão. Além disso, o potássio também induz a eliminação do sódio pelos rins, minimizando os efeitos dos sal no organismo.

Segundo os especialistas, por sí só, o banana não é milagrosa. O ideal é diminuir o sal na dieta e aumentar o consumo da banana...




Prender banqueiro é crime, torturar doméstica não

Do site da Carta Capital, matéria de Leandro Fortes:

A máquina de moer reputações acionada dentro da Polícia Federal para punir o delegado Protógenes Queiroz tem funções seletivas. Desde a prisão do banqueiro Daniel Dantas, em julho de 2008, a cúpula da PF dedica-se integralmente a tentar indiciar criminalmente Queiroz, acusado de vazamentos e práticas ilegais durante a Operação Satiagraha. Mas nem todo mundo recebe o mesmo tratamento. A Corregedoria-Geral da PF, órgão responsável por investigar os crimes cometidos por policiais federais, arquivou, sem publicidade nem vazamentos, em 29 de janeiro, um processo de tortura supostamente praticada por ninguém menos que o delegado Luiz Fernando Corrêa, diretor-geral da instituição.

Corrêa foi acusado de deter ilegalmente e torturar, à base de chutes, pauladas, socos e eletrochoques, a empregada doméstica Ivone da Cruz, em 21 de março de 2001, nas dependências da Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Ivone, então com 39 anos, trabalhava na casa de uma mulher identificada apenas como Ocacilda, também conhecida pelo apelido de “Vó Chininha”, avó da mulher do delegado, Rejane Bergonsi. Presente durante um assalto à casa da patroa, Ivone acabou apontada como suspeita de cumplicidade com os criminosos, embora nenhuma prova ou evidência tenha sido levantada contra ela até hoje. Corrêa era, então, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF em terras gaúchas.

Leia a matéria completa no site da Carta Capital

Governo quer acabar com o vestibular

Deu na coluna de Elio Gaspari

NOSSO GUIA poderá livrar os jovens da praga do vestibular. O ministro da Educação, Fernando Haddad, está concluindo uma negociação com os reitores das universidades federais e é possível que já em 2010 a primeira fase seletiva seja substituída pela nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Apesar de haver ideias adicionais, a mudança tende a começar pelo mais simples. A cada ano, as 55 federais recebem em torno de 1,2 milhão de candidatos para 150 mil vagas. Numa primeira fase, 70% deles são massacrados numa prova mais preocupada em eliminar do que em julgar. Adotando-se as notas do Enem para a demarcação das linhas de corte, leva-se para dentro das escolas a responsabilidade pelo desempenho dos alunos. Atualmente, a irracionalidade do decoreba e das pegadinhas serve de álibi para quem ensina mal. A segunda fase, que cobraria taxas de inscrição, continuaria no âmbito das universidades.


Devem existir argumentos razoáveis contrários à mudança, mas desde já seria bom separá-los da defesa de interesses estabelecidos. Algumas escolas não gostam do Enem porque ele expõe a má qualidade do ensino que entregam. As burocracias da organização dos vestibulares não gostam de mudanças porque elas secariam uma fonte de arrecadação e de distribuição de gratificações. Afinal, quem paga o Enem é a Viúva.

Será que a barragem de Santa Cruz aguenta?

Está no blog do jornalista Márcio Costa:

A semana que se encerra, foi marcada pela confirmação de importantes projetos regionais.
Especificamente com relação a Barragem de Santa Cruz, dois importantes projetos ganharam contornos claros, e devem deixar as gavetas da burocracia para trilhar o rumo da solidez.

Mas diante da confirmação destes projetos surge uma dúvida. Será que a barragem de Santa Cruz aguenta?

Na manhã de ontem, a governadora Wilma de Faria assinou a ordem de serviço para a construção da maior adutora do RN.

Projetada para atender 26 municipios da região do Alto Oeste, a adutora homônima é tida como a redenção para diversas cidades que sofrem com o desabastecimento.

Correto.

Ainda com relação ao tema ADUTORA, a ministra Dilma Roussef confirmou nesta semana, a inclusão da Adutora Mossoró no cronograma de obras do PAC, fato que deverá render a estruturação de mais uma via de suporte ao abastecimento da principal cidade do interior potiguar, desta vez, com o uso das águas da barragem de Apodi.

Os dois projetos soma-se aos investimentos que serão desencadeados pelo Depasrtamento Nacional de Obras Conbtra as Secas (Dnocs), que promete irrigar numa primeira etapa, 10 mil hectares de terras da Chapada Apodiense com as águas da barragem de Santa Cruz.

Daqui, sem ter os estudos de viabilidade em mãos, começo a me preocupar.

A maior dúyvida se volta para um detalhe básico.

A barragem de Santa Cruz conta com reservas que possam dar suporte aos trÊs mega projetos?

Caso contrário, o reservatório poderá ir do 8 ao 80.

Da total inatividade, ao uso exaustivo de sua estrutura.

Mesmo diante da possibilidade de integração da bacia com as águas do São Francisco, creio que os passos possam está seguindo um espaço mais largo do que o possível.

Vamos acompanhar.

sexta-feira, 20 de março de 2009

ESSE É O NOSSO BRASIL!!

Um em cada três líderes de bancadas no Congresso Nacional é alvo de investigação do Supremo Tribunal Federal.

CHARGE DE HOJE


Sinte/RN realiza uma contraproposta para apresentar até segunda

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), em greve desde o dia 2 de março, reforça as atividades da paralisação. Ontem, uma comitiva com mais de vinte pessoas esteve em Natal no intuito de falar com o Secretario de Educação do Estado, Ruy Pereira, para tratar de propostas concretas que pudessem por fim o movimento. Mas o encontro foi rápido e sem nenhum sucesso. Segundo Inalda Teixeira, coordenadora geral do Sinte, os professores ficaram acampados na sede da secretaria até serem recebidos pelo secretário, porém, como o tempo disponibilizado pelo secretário para a categoria foi pouco eles retornaram sem nenhuma resposta. "O secretario ficou de conversar com a Governadora e depois voltar com alguma proposta, mas não apareceu mais na secretaria. O chefe de gabinete foi quem veio para avisar que ele não havia conversado com a Governadora, porém, o comando de greve fizesse uma contraproposta para ser encaminhada até segunda-feira próxima", disse a coordenadora. Acrescentando que a categoria espera que a situação seja resolvida até a próxima semana.

A greve dos professores da rede estadual já conta com adesão de, aproximadamente, 80% dos profissionais. Hoje e amanhã os servidores ficarão na praça do Pax, para informar e conscientizar a população sobre o movimento. No domingo será realizada uma carreata pelas ruas da cidade com o objetivo de dar mais visibilidade ao movimento.

Entre os principais pontos de reivindicação está à questão do piso salarial, incluindo as diferença de letra e de nível. A categoria está reivindicando que sejam considerados os 40% de diferença no salário dos professores graduados, definidos pela Lei 322/2006, do plano de cargo, carreira e remuneração.

Correio da Tarde

COMENTO:

Eu acho um absurdo o descaso com que nossos governantes ainda hoje tratam a educação, embora todos já tenham consciência de que para haver efetivamente mudança em um país o primeiro passo é o investimento na educação.Mas infelizmente, com professores desmotivados devido aos baixos salários, ausência de um mínimo de infra-estrutura na maioria das escolas, jamais haverá qualidade na educação e o nosso estado figurará sempre como o que tem um dos piores índices de educação do Brasil.

Uma vergonha senhora governadora!!!

quarta-feira, 18 de março de 2009

FRASE DO DIA

“ Foi uma passagem de muita presença. Ele (Clodovil) é uma figura de muita personalidade, às vezes geradora de contestações ”


(Do presidente da Câmara Federal, Michel Temer)

MORRE DEPUTADO CLODOVIL HERNANDES

O deputado federal Clodovil Hernandes (PR-SP) morreu na tarde desta terça-feira (17) no Hospital Santa Lúcia, em Brasília. Ele foi internado na segunda após ser encontrado desacordado em seu quarto. O parlamentar, de 71 anos, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico grave que inundou quase todo o lado esquerdo do crânio e chegou a sofrer uma parada cardiorrespiratória, sendo reanimado após cinco minutos. Ele foi examinado durante todo o dia e, no meio da tarde, teve a morte cerebral confirmada. Clodovil nasceu em Elisiário, no interior paulista, em 17 de junho 1937, era professor formado, mas ficou famoso como estilista de alta costura e apresentador de TV. Entre os diversos programas ancorados por ele, em muitas emissoras, o mais marcante foi o TV Mulher, veiculado pela Rede Globo na década de 1980, em que ele chegou a fazer dueto com ex-prefeita de São Paulo e ex-ministra do Turismo Marta Suplicy. Na última quita-feira (12), o deputado eleito pelo PTC foi absolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do pedido de cassação do mandato pelo partido, que o acusava de infidelidade partidária. No ano passado, Clodovil já havia sofrido um AVC, mas não sofreu sequelas.

terça-feira, 17 de março de 2009

"Território Sertão do Apodi, nas Pegadas de Lampião" é lançado pelo SEBRAE/RN

O Rio Grande do Norte foi palco de uma das piores derrotas que o bando do cangaceiro Lampião sofreu. Em 1927, na cidade de Mossoró, eles foram rechaçados pelos habitantes que, liderados pelo prefeito, defenderam bravamente a cidade. O episódio ficou marcado na história do cangaço e na trajetória do bandido como a primeira resistência com sucesso às suas emboscadas. Na tarde de ontem (16) foi apresentado à imprensa, pelo SEBRAE-RN, o Projeto "Território Sertão do Apodi, Nas Pegadas de Lampião". Em parceria com o Governo do Estado, o projeto consiste num conjunto de ações integradas que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da região do Sertão do Apodi, visando a sustentabilidade econômica, social e ambiental, pelo fortalecimento dos pequenos negócios existentes e das vocações locais.

Dentre as ações, será dado um destaque à constituição do roteiro turístico que segue as pegadas de Virgulino na região, envolvendo diversas atividades ligadas à estética do cangaço, como o artesanato, as expressões artísticas, teatro de bonecos, a culinária regional, a produção de fitocosméticos e muito mais.

Nesta fase inicial do projeto, a Agência Cultural do SEBRAE/RN, em parceria com a Íntegra Pesquisa & Consultoria (IPC) estão realizando um grande mapeamento cultural do Sertão do Apodi, resultando em um inventário da cultura material e imaterial dos 17 municípios incluídos e a busca de referências históricas e culturais sobre o cangaço.

Também estiveram presentes na apresentação do projeto os fotógrafos responsáveis pela produção de um Banco de Imagens, uma Coleção de Cartões Postais e uma Exposição Fotográfica Itinerante, que irão complementar e ilustrar este grande banco de dados, que estarão disponíveis gratuitamente para os empreendedores e prefeituras locais.

As primeiras oito cidades escolhidas para iniciar as ações do projeto são: Felipe Guerra, Apodi, Paraú, Rodolfo Fernandes, Patu, Campo Grande, Umarizal e Gov. Dix-Sept Rosado.

Para organizar esta ação, foi convidada a ONG ZooN Fotografia, que articulou sete fotógrafos de expressão regional e nacional, ligados ao fotojornalismo e também à região. São eles: Canindé Soares, Cícero Oliveira, Henrique José, Jean Lopes, Max Pereira, Pacífico Medeiros e Ricardo Junqueira.

A produtora do projeto, Keila Sena, explicou o objetivo da apresentação: "Todos os presentes conheceram mais e melhor esta importante iniciativa de promoção da cultura, afirmação de identidade e impulsionadora do desenvolvimento local e do turismo sustentável em nosso Estado".

O resultado dessa expedição será lançado em 03 de abril 2009, em um evento cultural na cidade de Apodi.




Correio da tarde

Greve continua e professores preparam nova contraproposta

Próxima assembleia será dia 23 de março

A greve dos professores continua por tempo indeterminado. Este foi o resultado da assembleia da categoria realizada hoje na escola estadual Wiston Churchil, onde se reuniram professores da rede estadual e municipal. Em greve desde o dia 3, os educadores não acataram o apelo de retorno às aulas e ainda aguardam uma proposta melhor do poder público.
A atual oferecida pelo Estado assegura as promoções verticais e horizontais, com um acréscimo de R$ 63 milhões na folha, previstos para serem pagos ao longo de dois anos, além de cumprimento da lei nº 11.738, que regulamenta o Piso Nacional do Professor. No entendimento do Sindicato dos Trablhadores em Educação (Sinte/RN), a proposta não segue arcordos passados e o piso não está sendo cumprido conforme a lei.
No município, a situação é mais amena, com promessa de reajuste salarial de 12%, sendo 5% referentes às perdas salariais e 7% da inflação dos últimos quatro anos, mais capacitação dos educadores infantis. Até o fim do ano passado, estes profissionais eram lotados na Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas). A pauta de reivindicações, encaminhada pelo Sinte, pede 34% de reposição e inclusão dos educadores no Plano de Cargos e Carreiras dos professores, pela Secretaria Municipal de Educação (SME). Ontem, o secretário Elias Nunes incrementou a proposta, solicitando o nome de dois integrantes do Sinte para compor a comissão que debaterá, a partir de junho, o pagamento restante.
A representante da coordenação-geral do Sinte/RN, Fátima Cardoso, relatou que a categoria apresentou sua insatisfação aprovando a continuidade da greve, tanto pela falta de novidades por parte do Estado como pelo encaminhamento dado pelo secretário. "Não tem consistência e a categoria reagiu. Durante a semana iniciaremos algumas ações, que serão divulgadas para a imprensa", diz Fátima.
Ela adiantou algumas das deliberações aprovadas, como a busca de apoio no poder legislativo, tanto com os deputados estaduais como vereadores, para em seguida agendar audiências com a governadora Wilma de Faria e a prefeita Micarla de Sousa. Fátima revelou que está sendo produzida uma contraproposta para ser apresentada nas duas esferas do executivo. "Sem radicalismo de nenhuma das partes, daremos este passo em busca de apoio, continuidade e avanço das negociações. A decisão da categoria é de continuidade do movimento por tempo indeterminado, com assembleia agendadas para o dia 23", adianta Fátima.


Repórter: Leonardo Dantas

domingo, 15 de março de 2009

- Candidata potiguar condena estrutura de escola e afirma que educação precisa melhorar

Todos os participantes do programa Soletrando, são apresentados em um video que conta um pouco da história social, e origem geográfica dos candidatos.

A apresentação conta com uma entrevista, onde são expostas opiniões objetivas e pessoais com relação a assuntos comuns a todos.

Apresentada antes da performance do candidato, a entrevista da potiguar Maria Luiza, poderia ter sido gravada após o resultado de ontem e as principais respostas seriam as mesmas sem nenhum problema.

Na entrevista, a moradora da modesta comunidade de Passagem de Pedras em Mossoró, externou de forma intuitiva. a fragilidade da educação potiguar em duas oportunidades.

Ao responder qual a pior coisa da escola, a estudante mossoroense não se intimidou em responder ‘a estrutura física’.

As deficiências voltaram a ser externadas na apresentação de uma outra pergunta abordando fragilidade.

“O que o seu estado precisa melhorar?”.

Maria Luiza responde: “Para melhorar precisa investir mais na educação e valorizar mais os professores”.

As respostas figuram como tapas na cara das governantes maior de Mossoró, Fafá Rosado e do RN, Wilma de Faria.

Propaganda vergonhosa na maior emissora do país, numa das principais vitrines para o futuro de toda a América Latina.

Triste.


Veja a entrevista na íntegra.

Nome: Maria Luiza de Souza NetaEstado: Rio Grande do NorteApelido: LuluIdade: 12

Onde mora e com quem?Eu moro em Passagem de Pedras, com minha família.

Onde estuda?Escola Municipal Vereador José Bernardo

Matérias preferidas: Português e ciências

Pra você, qual a melhor coisa da escola?A melhor coisa da minha escola é o ensino.
E a pior?A pior coisa é a estrutura física.

Um herói ou um ídolo:Meu herói, meu ídolo é Deus.

Qual a sua música preferida atualmente?Pais e filhos (Legião Urbana)

Livro favorito:Diva (José de Alencar)

O que você mais gosta de fazer para se divertir?Conversar com as amigas.

Uma palavra que só existe em seu estado e seu significado:Bruguelo, que significa menino magrinho.

O que o seu estado tem de bom? E o que precisa melhorar?De bom, as riquezas das paisagens naturais. E para melhorar precisa investir mais na educação e valorizar mais os professores.

Qual é o seu maior sonho?Ser uma grande odontóloga.

Mande uma mensagem para jovens estudantes como você:Lutem sempre pelos seus sonhos, pois quem acredita sempre alcança.
Giro pelo Estado

Apodienses desconfiam do projeto de irrigação previsto para a chapada com uso da água de Santa Cruz

Está no blog Giro pelo estado:

Em Apodi a confirmação de R$ 90 milhões para a primeira etapa do projeto de irrigação da Chapada é visto como uma ‘esmola’ que poderá custar caro para a cidade.

O projeto que será coordenado pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), ainda não foi digerido pelos representantes dos agricultores locais.

Tudo em função de um detalhe.

O projeto não contempla a região do Vale que pelas características absorverá uma quantia de investimentos ínfima em comparação aos R$ 200 milhões previstos para a Chapada.

O fato dos recursos seguirem uma ordem inversa na escala de facilidade, tem deixado os apodienses com uma ‘pulga atrás da orelha’.

Nos bastidores, os líderes do segmento agricola desconfiam que parte dos R$ 90 milhões sigam um rumo bem diferente do que leva à chapada apodiense.

Com os recursos liberados pelo PMDB potiguar, o temor se volta para o desvio de parte destes milhões para o caixa de campanha do partido.

Diante deste pensamento, os agricultores locais já trabalham a elaboração de um docuimento que deverá ser apresentado no próximo dia 22, data em que será realizado o segundo ato em defesa da barragem de Apodi.

Alguém duvida que o assunto vai render?

Um tribunal para julgar bandidos de colarinho branco

Funciona na Holanda um tribunal internacional para julgar crimes contra a Humanidade. De quando em quando se ouve que um ex-ditador foi condenado, houve até um que cumpriu pena, acusado de genocídio na antiga Iugoslávia.

Por que não viabilizar um tribunal internacional para julgar crimes econômicos? A idéia foi proposta décadas atrás pelo então senador Marcos Freire, num seminário em Canelas, Rio Grande do Sul, sobre o "Diálogo Norte-Sul", promovido pelo governo da Alemanha. Até Fernando Henrique, então apenas sociólogo, estava presente.

O mundo vive uma de suas piores crises econômicas dos tempos modernos. Recessão, estagnação, crescimento negativo, falências aos montes e, acima de tudo, desemprego em massa. Como essas coisas não acontecem por coincidência, fica evidente a existência de responsáveis. De culpados. Parece fácil identificá-los, como acontece nos Estados Unidos. São os especuladores, os banqueiros que jogaram com o crédito, os dirigentes de grandes empresas ávidos de locupletar-se em seus falsos lucros.

Aqui no Brasil é a mesma coisa. A crise nos pegou de jeito, conforme números divulgados há muito, mas explodindo esta semana. Serão os culpados apenas os estrangeiros? Nem pensar. Aí estão os bandidos do colarinho branco, que todo mundo conhece.

Não seria o caso, ao menos enquanto o tribunal internacional não é criado, de o Congresso aprovar um tribunal nacional? O diabo é quando os processos chegarem à fase da identificação dos colaboradores, co-réus, incrustados na máquina pública... (Carlos Chagas )

Neoliberalismo e Globalização

A televisão mostrou esta semana uma das mais chocantes imagens desses tempos de neoliberalismo e globalização. Centenas de cidadãos americanos instalados com suas famílias em barracas, na periferia de Los Angeles. Não eram cultores do camping nem fanáticos na defesa do meio ambiente. Tratava-se de desempregados, boa parte da classe média, sem salário e, também, sem casa. Gente que perdeu tudo, até onde morar, por falta de pagamento das prestações. Vivem da caridade da prefeitura, que distribui quentinhas, mas chegou à conclusão da impossibilidade de alimentar a todos. Vale repetir, nos Estados Unidos.

Como complemento macabro, as telinhas mostraram montes de casas fechadas, retomadas pelos bancos, deteriorando-se e apodrecendo. É o sinal dos tempos globalizantes e neoliberais.
C.C

Brasileiro lê 2,5 livros por ano



O brasileiro lê bem menos que os habitantes dos países desenvolvidos. Aqui, são, em média, 2,5 livros por ano, contra 10 nos Estados Unidos ou 15 em países como a Suécia ou a Dinamarca. Mas apenas 0,9 desses 2,5 livros anuais lidos não são obras didáticas, que as escolas exigem dos alunos. As diferenças regionais brasileiras também conspiram contra o crescimento do hábito da leitura, já que só há livrarias em 30% dos 5.564 municípios.

Não é exato o número de livrarias existentes no país porque é fácil obter-se um registro de funcionamento, mesmo que o negócio principal não seja a venda de livros. Mas é seguro afirmar-se que o Brasil tem hoje menos de 2.700 livrarias, 70% das quais são de pequeno e médio porte. Um número muitíssimo inferior ao que seria ideal, na visão da Organização das Nações Unidas (ONU) para um país com 190 milhões de habitantes.

Segundo Vitor Tavares, presidente da Associação Nacional de Livrarias (ANL) e executivo na área há 20 anos, um número razoável no Brasil seria de 4.900 livrarias. "Estamos muito longe desta realidade", admite. Para a ANL, faltam incentivos para que mais livrarias sejam abertas e falta profissionalização para as que estão abertas.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Pesquisa do DEM nacional mostra Rosalba como nome irreversível

Carlos Skarlack


Se depender do resultado de uma ampla pesquisa eleitoral, qualitativa e quantitativa, realizada sob encomenda do DEM do nacional, recentemente, a senadora Rosalba Ciarlini (DEM), será a candidata ao Governo, em 2010. E, para ganhar.

De acordo com revelações feitas pelo presidente do DEM, em Mossoró, Carlos Augusto Rosado – marido da senadora -, a um grupo de pessoas que privam de sua intimidade, todos os cenários apontam o favoritismo de Rosalba.

Mesmo sem citar números, Carlos Augusto teria comemorado a liderança de Rosalba nas intenção de votos. Ela estaria na dianteira, tanto no quesito espontâneo como na abordagem estimulada.

Carlos Augusto também cita, nos bastidores, que a mesma pesquisa indica que a maioria dos entrevistados, considera que Rosalba será eleita governadora do Rio Grande do Norte nas eleições de 2010.

Rosalba Ciarlini também aparece bem situada, quando a questão é rejeição. A senadora disponta com o menor índice de rejeição junto ao eleitorado do Estado, o que lhe oferece ampla margem de crescimento eleitoral.

Por esses e outros números, Carlos Augusto tem confidenciado que a postulação da ex-prefeita de Mossoró é irreversível. E, que nem mesmo eventuais focos de resistência dentro do próprio DEM, será capaz de impedir uma candidatura de Rosalba.
Ele se refere a preferências que tem sido externadas por algumas lideranças regionais do DEM, que tem reafirmado que em 2010, a prioridade do partido é o projeto do senador José Agripino, presidente estadual da agremiação.

EFEITO

Para uma fonte ouvida pelo Correio da Tarde, esta pesquisa, que teria sido realizado pelo Instituto Ipespe, de Recife (PE), o motivador de uma longa entrevista que o senador José Agripino, concedeu esta semana.

Falando em um telejornal da TV Tropical, de Natal, Agripino não economizou elogios ao nome de Rosalba. Pelo que disse, Rosalba ao Governo, é um dos trunfos que dispõe, para vencer a disputa contra a governadora Wilma de Faria (PSB) e o senador Garibaldi Filho (PMDB).

Se confirmadas as candidaturas de Agripino, Wilma e Garibaldi, para ao Senado, em 2010 teremos uma das mais acirradas disputas proporcionais da história política do Rio Grande do Norte. E uma dobradinha com Rosalba, é a grande aposta de Agripino.

Consultados sobre a pesquisa, alguns nomes com trânsito livre no DEM, de Mossoró e do Estado, preferem fazer ares de mistério. Limitam-se a discretas comemorações. Mas, sem divulgar oficialmente, os números da pesquisa, que apontam Rosalba como favorita ao Governo do Estado.
Correio da Tarde

quinta-feira, 12 de março de 2009

Aécio a FHC: "Não se faz um projeto em gabinetes de SP

"Não se constrói um projeto para o país em alguns gabinetes da avenida Paulista. Se constrói caminhando pelo país, e é o que estou me dispondo a fazer”. Esta foi a resposta irritada que deu o governador Aécio Neves à crítica feita pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a sua proposta de, juntamente com o outro pré-candidato do partido à presidência, José Serra, sair pelo país em campanha pelas prévias dentro do PSDB.



O governador de Minas Gerais quis dizer ao ex-presidente Fernando Henrique é que os tucanos devem percorrer regiões brasileiras como o Nordeste, onde o partido não é forte, levando para serem discutidas com tucanos e a própria população as propostas do partido postulante à presidência.



O governador ficou irritado com as declarações de Fernando Henrique, rechaçando sua proposta, dizendo que ele, Aécio, e o paulista José Serra têm é de trabalhar e não ficar viajando. Daí a resposta do mineiro de que “não se constrói um projeto dos gabinetes da Avenida Paulista”. Aécio Neves, quer FHC queira ou não, vai seguir o que ele mesmo prega: segunda-feira mesmo estará no Recife, a fim de se reunir com lideranças regionais do seu partido. E cutucou mais ainda o ex-presidente afirmando que ele poderia viajar mais, “um pouco além dos finais de semana”

Senado adia votação sobre cotas nas universidades

Mesmo com o protesto de estudantes, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado adiou a votação do projeto que estabelece cotas socias e raciais nas universidades públicas, informou a Agência Brasil Na semana que vem será feita uma audiência pública para discutir o assunto. A proposta, já aprovada na Câmara, enfrenta divergências no Senado.
O presidente da CCJ, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), acha a proposta confusa e já se colocou a favor apenas da cota social e não da racial. Segundo ele, é preciso beneficiar alunos carentes, independente de raça.

O texto, já aprovado na Câmara, determina que 50% das vagas nas universidades sejam reservadas a alunos de escolas públicas. Metade dessas vagas deverá ser distribuída de acordo com critérios raciais e estabelecida proporcionalmente à distribuição populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste




UFPB prepara Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste:



Com o tema “Educação, Direitos Humanos e Inclusão Social” será realizado de 5 a 8 de julho próximo, no Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o 19° Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste (EPNN).
Organizado pelo Fórum de Programas de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação do Norte e Nordeste através do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFPB, o EPENN é um dos maiores e mais antigos eventos de pesquisa em educação do país e o mais importante das regiões Norte e Nordeste, inclusive qualificado no Qualis Eventos, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Pesquisadores de 14 instituições de ensino superior dessas duas regiões do país (UFPB, UFAL, UFAM, UFBA, UFC, UFMA, UFPA, UFPE, UFPI, UFRN, UFS, UEPA, UECE e UNEB) vinculados aos programas de pós-graduação vão discutir, debater, refletir e propor alternativas para o enfrentamento dos grandes desafios postos pelo atual quadro de exclusão social e educacional no Brasil.
A programação completa, que pode ser acessada pelo endereço eletrônico http://www.ce.ufpb.br/ppge/epenn/, , prevê para as 18h do dia 5 de julho a abertura do evento no Espaço Cultural José Lins do Rego. A sequência da programação, como colóquios, grupos de trabalhos, mesas redondas, lançamentos de livros, etc, ocorrerá na Central de Aulas e no Centro de Educação, campus 1 da UFPB.

A coordenadora do evento junto à Universidade Federal da Paraíba, professora Adelaide Alves Dias, do Centro de Educação, está viajando esta semana ao Rio de Janeiro para confirmar a presença de alguns convidados que deverão participar do EPENN e, segundo ela, na próxima semana já estarão sendo divulgados os nomes daqueles que confirmarem presença.
As inscrições para os que vão apresentar trabalhos foram prorrogadas até o próximo dia 23, enquanto as inscrições para quem não vai apresentar trabalho vão até 5 de julho, ao preço de estudantes R$ 110,00, professores/pesquisadores R$ 200,00.


Contatos e outras informações a respeito do 19° Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste, em João Pessoa, deverão ser obtidos nos seguintes endereços e telefones:
Universidade Federal da Paraíba – UFPB
Cidade Universitária Campus I
CEP: 58.059-900
João Pessoa – Paraíba
Telefone: (83) 32167702Fax: (83) 32167140
Fonte: Agência de Notícias da UFPB

Sinte rebate afirmações do secretário de Educação do RN

Indignado com as afirmações do secretário estadual de Educação, Ruy Pereira, que considerou a greve dos professores "insensível e despreocupada", o coordenador do Sinte, Aldeirton Pereira responde às críticas do secretário. Para Aldeirton, as considerações feitas por Ruy Pereira escondem as deficiências pelas quais a educação do Estado atravessa. "O secretário através dessa entrevista está mascarando os problemas que a educação vive hoje. Ele está tentando colocar a opinião pública contra a nossa categoria", desabafa Aldeirton, acrescentando que as condições atuais da educação pública no Estado são preocupantes.

"Nas escolas faltam professores e funcionários. Bibliotecas fechadas e salas de vídeo foram fechadas, escolas estão fechando, os professores estão desmotivados a trabalharem por causa da desvalorização salarial.
Enfim, a educação passa por muitos problemas não por causa dos professores, mas em função do Governo que deixa a educação em último plano", conta.

A paralisação dos professores da rede estadual de ensino chega ao 12º dia. Em todo o Estado cerca de 33 mil alunos da rede pública estadual estão sem aulas.

Na última assembléia entre a categoria e o Governo do Estado, foram apontadas pelos professores avanço nas negociações. Entre a proposta apresentada pelo Governo, está a de promover a partir do mês de abril, a atualização de todas as promoções horizontais e verticais referentes às letras (níveis) das categorias. Apesar do passo a frente, segundo o coordenador do Sinte, a proposta não foi suficiente para atender os anseios da categoria.

"A proposta do Governo não é suficiente para recuarmos. Continuaremos na luta para melhorar as propostas. Por isso, a greve continua", enfatiza Aldeirton.

Na pauta de reivindicações dos professores estão as seguintes exigências: pagamento do piso salarial nacional de forma integral, sem contar com as gratificações, atualização e pagamento das letras dos professores e promoção vertical de acordo com titulação atual, reajuste salarial que não e concedido à categoria há três anos e Plano de Cargo, Carreira e Salário para funcionários das escolas.
Gazeta do Oeste

segunda-feira, 9 de março de 2009

74% admitem uma mulher presidente


Dilma Roussef deve ter ficado radiante com pesquisa divulgada hoje que apontou que 90% dos brasileiros elegeriam uma mulher para cargo público. A pesquisa, segundo o portal Estadão, foi feita pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), em conjunto com o Instituto Patrícia Galvão e o Cultura Data. Desse grupo, 74% votariam em uma mulher para prefeito, governador ou presidente, o que, do total, corresponde a 67% dos brasileiros. A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 17 de fevereiro, com 2.002 entrevistas em 142 municípios de todas as regiões do País.


A pesquisa ainda aponta, segundo o Estadão, que para 83% dos entrevistados a presença de mulheres no poder "melhora a política". Na opinião de 75% deles, só há democracia, de fato, se elas estiverem nas várias instâncias de poder. Já para 73% dos brasileiros a população ganha com a eleição de um maior número de mulheres. O apoio à presença feminina no panorama político nacional foi constatado em todos os segmentos da amostra, tanto demográficos como regionais

HENRIQUE MINISTRO

Deu na coluna de hoje do sempre bem informado, jornalista Claudio Humberto.

Leia a nota:

Ministro Henrique

O nome do líder do PMDB na Câmara, Henrique Alves (RN), é lembrado quase todos os dias para virar ministro do governo Lula. A aposta mais recente é o Ministério do Turismo.

PROTÓGENES REBATE MATÉRIA DA VEJA

Para ele, isso é parte de uma engenharia política sórdida

Por meio de seu Blog, o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz fez sua defesa, nesta segunda-feira, acerca das denúncias publicadas pela revista Veja desta semana. A publicação traz em sua primeira página a chamada com o título "A tenebrosa máquina de Espionagem do Dr. Protógenes", acusando-o de grampear parlamentares, ministros e até ex-presidente da República. Diz Protógenes:

"Não é a primeira vez que estamos diante de fatos semelhantes publicados de forma bandida e irresponsável", alerta o delegado. No texto intitulado "Veja a mentira" Protógenes rebate as ilações da revista, como a de que a PF teria recolhido material clandestino sobre autoridades em seu apartamento. "É importante afirmar que em minha residência no Rio de Janeiro não foi apreendido nenhum documento ou material, nem tampouco computador contendo dados da Operação Satiagraha, conforme se comprova no auto de busca e apreensão na ocasião da diligência. As diligências resultaram na apreensão de documentos pessoais, poucos documentos e materiais referentes a atividade de inteligência vinculados Satiagraha, pois ali estavam em razão de prestar esclarecimentos pós-operação policial as autoridades competentes vinculadas ao caso", defende-se. O delegado também afirma que esses dados não incluem a participação dos ministros Mangabeira Unger e Dilma Roussef, do senador Heráclito Fortes (DEM) e do ex-ministro José Dirceu (PT).
"A quem interessou tal fato? Hoje vivemos num clima mercantilista corrupto em que a credibiliade de um órgão de imprensa que no passado teve sua importância histórica, hoje lamentávelmente constitui parte dessa engenharia política e comercial sórdida disponíveis a serviço de um poder até então não identificado, mas que possivelmente ultrapassam as nossas fronteiras", questiona Protógenes.


CPI faz nesta segunda-feira reunião de emergência para apurar denúncias

Da Folha Online

A CPI das Escutas Telefônicas da Câmara deve prorrogar suas atividades por mais 60 dias. O objetivo é aprofundar as investigações sobre as denúncias, publicadas na revista "Veja", de que autoridades dos três Poderes foram alvos de uma investigação ilegal promovida pelo delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz - que comandou a primeira Operação Satiagraha, que investiga o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity.

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e o presidente da CPI das Escutas Telefônicas, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), se reúnem amanhã para discutir a possibilidade de prorrogação da CPI. A interlocutores, Itagiba se disse chocado com as informações publicadas na revista, indicando que são graves e devem ser apuradas de forma rigorosa. Independentemente da prorrogação das atividades da CPI, Itagiba apresentará na terça-feira (10) um voto em separado ao relatório proposto pelo deputado Nelson Pellegrino (PT-BA). A data prevista para término da CPI é quarta-feira (11), quando deverá ser votado o relatório final da comissão.

Para Itagiba, é fundamental que a CPI aprove os indiciamentos dos delegados da PF Paulo Lacerda, ex-diretor-geral da polícia, Protógenes, além de José Milton Campanha, ex-diretor-adjunto da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e do banqueiro Daniel Dantas. Interlocutores de Itagiba informaram ainda que ele recebeu novos documentos da Polícia Federal, na última sexta, e ainda não os examinou. O material estaria no cofre da CPI.

Suspeitas

De acordo com a reportagem publicada na "Veja", Protógenes usou métodos ilegais para investigar diversas autoridades. Entre os alvos de Protógenes estariam os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos), o ex-ministro José Dirceu, o governador José Serra (São Paulo), o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, e o empresário Fábio Luiz da Silva, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de outras personalidades.

No ano passado, Protógenes ganhou projeção nacional em decorrência de suas atividades no comando da Operação Satiagraha --que prendeu no ano passado o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, o ex-prefeito Celso Pitta e o investidor Naji Nahas. Todos foram soltos depois.
A atuação de Protógenes gerou divergências entre vários setores do governo, o delegado acabou afastado da operação e alvo de um inquérito da PF - que apura eventuais excessos cometidos pelo delegado no curso da Satiagraha. Entre os problemas da investigação estaria a utilização de agentes da Abin (Agência Brasileira de Inteligência).

De acordo com a reportagem da "Veja", a PF teria descoberto no computador pessoal e pen drive de Protógenes informações sobre investigações ilegais cometidas pelo delegado. A revista diz que entre os documentos encontrados na casa de Protógenes há relatórios que levantam suspeitas sobre atividades de ministros do governo, fotos comprometedoras que foram usadas para intimidar autoridades e gravações ilegais de conversas de jornalistas.


Blog do Prof. Ozamir Lima - Designer: Segundo Freitas