sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Termina prazo para adesão de municípios ao Minha Casa

Hoje é o último dia para os municípios com menos de 50 mil habitantes apresentarem propostas do Programa Minha Casa, Minha Vida. As cidades interessadas em participar e estados que queiram contemplar municípios desse porte com o programa devem acessar o site do Ministério das Cidades (www.cidades.gov.br) e preencher o formulário de proposta, informou a Agência Brasil.
Podem ser apresentadas três propostas de projetos. Cada uma deve ter, no máximo, 30 unidades quando a população for de até 20 mil habitantes. Para os que tiverem até 50 mil habitantes, as propostas podem ter até 60 unidades cada uma.

O programa, em municípios com população inferior a 50 mil habitantes, visa a apoiar ações para promoção do acesso à moradia para famílias que recebem até R$ 1.395. Recursos de subsídio provenientes do Orçamento Geral da União são destinados a complementar o valor de produção das moradias.

FRASE DO DIA

Qualquer um que ganhar as eleições, pode ser o maior xiita deste país ou o maior direitista, não conseguirá montar o governo fora da realidade política. Entre o que se quer e o que se pode fazer tem uma diferença do tamanho do Oceano Atlântico. Se Jesus Cristo viesse para cá, e Judas tivesse a votação num partido qualquer, Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão.”
Lula, em entrevista à Folha de S.Paulo, falando das alianças que tem de fazer para pdoer governar o País.

Uern divulga concorrência do Vestibular 2010 – Medicina lidera com 92 para uma vaga

A Comissão Permanente de Vestibular (COMPERVE/UERN), informa aos candidatos inscritos no Processo Seletivo Vocacionado 2010 (PSV/2010) os números da concorrência.

O curso que teve maior concorrência foi o de Medicina (matutino), com 92.07 (geral) e 28.69 (cotistas). O segundo foi Direito (noturno, Campus do Natal) com 72.85 (geral) e 29.25 (cotistas).

Segundo os números, Letras (noturno, Macau), habilitação em Língua Inglesa e Literatura da Língua Inglesa foi o menor: 0.80 (geral) e 0.20 (cotistas).

Vale ressaltar que a partir do dia 20/11/09 e até o dia prova, em 20/12/09, os candidatos poderão retirar o Cartão do Candidato, que será disponibilizado exclusivamente no site da UERN.


CLIQUE AQUI e veja a lista completa com a concorrência de todos os cursos disponibilizados pela Uern.

Reforma do Senado permite que servidores ganhem mais que ministros do STF

A reforma administrativa do Senado, elaborada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), possui um artigo que permite a servidores da Casa receber acima do teto do funcionalismo público federal, fixado em R$ 25,7 mil. Pelo texto, os servidores que recebem funções comissionadas além da remuneração mensal, poderiam somar valores superiores ao teto. Ao ser informado sobre a brecha, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta sexta-feira que a introdução do artigo deve ter ocorrido "última hora" com objetivos corporativistas.

"Foi alguma introdução, coisa de última hora, que deve ter sido feita com um certo viso corporativista, mas não vai vingar. É inconstitucional. É uma coisa que não tem nenhuma base legal, não podemos fazer de jeito nenhum", afirmou. Sarney disse o objetivo da reforma é reduzir despesas, por isso não vai permitir que alguns servidores recebam acima do teto. "A reforma é para enxugar, não para aumentarmos despesas", disse.

O artigo da reforma que inclui a brecha afirma que "a remuneração mensal do servidor do Senado Federal terá como limite máximo o subsídio mensal, em espécie, dos ministros do Supremo Tribunal Federal, ressalvadas as parcelas de caráter indenizatório e a devida pelo exercício de função comissionada". Com a ressalva, a proposta abre a brecha para que os servidores efetivos do Senado (concursados) que recebem comissões além do salário somem vencimentos acima do teto.

Para o senador Pedro Simon (PMDB-RS), o artigo é inconstitucional e deve ser retirado do texto. "Ninguém pode nem deve receber acima do teto. O teto existe e tem de ser respeitado', disse.

Servidor da Ufersa tem o quinto maior salário do serviço público em todo o país

Um servidor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), em Mossoró, possui o quinto maior salário da administração pública federal.


Com um ganho mensal de R$ 31.186,38, o funcionário possui um salário maior até do que o do presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, que é de R$ 18.718,93.


Um funcionário da Universidade Federal do Ceará (UFC) é o que possui o maior salário, que é de R$ 46.138,45. A maior parte deste dinheiro (R$ 27.455,37) faz parte de incorporações recebidas por determinação judicial.


No Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) está o segundo maior rendimento (R$ 33.873,60).
Os números foram tornados públicos através da portaria Nº 2.873, de 23 de outubro deste ano, do Ministério do Planejamento, divulgada ontem no Diário Oficial da União (DOU).


Os números são referentes aos salários recebidos no mês de abril. A portaria obedece ao disposto no artigo 1º do Decreto nº 3.529, de 30 de junho de 2000.

De acordo com as informações da portaria, a maior parte do dinheiro recebido pelo servidor da Ufersa (R$ 16.721,71) faz parte de gratificações incorporadas ao salário de R$ 14.464,67.

Na terceira posição no ranking, está o salário de um funcionário do Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET) na Paraíba (R$ 33.232,39).


Em seguida, em quarto lugar, aparece o salário de uma pessoa que trabalha no Ministério da Fazenda.

JORNAL DE FATO

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Bolsa Família ajuda TODA a sociedade


Valor Econômico - 27/10/2009

Programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e da Caixa Econômica Federal dará ao beneficiário do Bolsa Família acesso a serviços bancários

Estamos vivendo uma mudança de paradigma na condução das políticas públicas, promovida por uma concepção de desenvolvimento mais distributiva e sustentável. Uma concepção de desenvolvimento que reafirma compromissos com as gerações futuras, e não só com a acumulação de riquezas a curto prazo. Nesse contexto, as políticas sociais ganham papel relevante, rompendo com a falsa dicotomia entre o social e o econômico. Além da dimensão ética de proteção da vida, as políticas sociais estão mostrando grande possibilidade de dinamização das economias locais, com significativo impacto no fortalecimento do mercado interno, o que foi um trunfo valioso para o Brasil no momento de enfrentamento da última crise econômica mundial.

Um dos aspectos que está se evidenciando é a elevada capacidade que as políticas sociais têm de estimular e desenvolver as potencialidades das pessoas, famílias e comunidades atendidas. Segundo um estudo feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2006, o índice de ocupação entre beneficiários do Bolsa Família é de 77% contra 74% dos não beneficiários.

As políticas sociais, em especial as de transferência condicionada de renda, como o Bolsa Família, ao contrário do que anunciaram as críticas mais apressadas, são potentes instrumentos para combater o ciclo da reprodução da pobreza. Anteriormente ao benefício, a situação de pobreza e, em alguns casos, de indigência, alimentava um ciclo de inércia, pois, sem perspectiva, muitas pessoas permaneciam à margem do processo produtivo, sem saber como se integrar à economia.

Isso mostra como são importantes as medidas de aperfeiçoamento dos programas e políticas sociais e também as ações complementares que potencializam ainda mais seus efeitos. Para que possam desempenhar plenamente seu papel em um plano de desenvolvimento integral e integrado, é necessário que elas funcionem como eixos que articulam várias áreas de atuação do Estado.

Esse princípio está orientando a iniciativa do governo federal de incentivar a inclusão bancária dos beneficiários do Bolsa Família, o que está sendo realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e a Caixa Econômica Federal. A previsão é que até 2010 sejam abertas 4 milhões de contas simplificadas para as famílias beneficiárias do Bolsa Família. Mais do que uma facilidade para o recebimento do benefício, esse é um direito que agora está sendo estendido a quem nunca tinha tido essa oportunidade anteriormente.

O projeto-piloto de nossa estratégia foi realizado em Belo Horizonte, quando creditamos, ainda em março do ano passado, o dinheiro do benefício na conta de 4.200 beneficiários. Neste ano, a estratégia foi expandida para todo o Brasil, com o início de uma campanha de incentivo à abertura voluntária de conta, especialmente em correspondentes bancários e lotéricos.

O primeiro objetivo dessa estratégia é viabilizar a ampliação do acesso a serviços e produtos financeiros. Com isso, queremos incentivar a oferta de produtos financeiros adequados ao público do Bolsa Família, de forma a atender suas reais necessidades. Também queremos estimular essas pessoas a buscarem mais informações sobre finanças e colaborar para que elas tenham mais condições de encontrar alternativas para garantir a sustentabilidade econômica de suas famílias.

O banco pode ser um importante aliado no processo de construção da emancipação social de pessoas, famílias e comunidades que estiveram excluídas por longos períodos do processo de crescimento econômico. Ter uma conta bancária pode ser um reforço à auto-estima. O acesso ao crédito pode ser um instrumento importante para estimular experiências de economia solidária, pequenos empreendimentos, cooperativas, dentre outras iniciativas que dão mais autonomia aos beneficiários do Bolsa Família - complementando as oportunidades geradas por iniciativas de qualificação profissional, como o Próximo Passo, que vem qualificando beneficiários do Bolsa Família para os setores da construção civil e do turismo.

A exclusão do sistema financeiro pode trazer vários prejuízos às pessoas de baixa renda, inibindo, inclusive, suas possibilidades de emancipação. O crédito por meio de canais informais como agiotas e congêneres, deixando o tomador de empréstimo refém de um sistema perverso e sem regulação, é apenas um dos problemas que queremos evitar oferecendo a opção dentro do sistema financeiro e nos moldes que caibam no bolso de cada um.

Completando um círculo virtuoso de desenvolvimento, essas iniciativas geram benefícios para toda a sociedade, porque têm reflexos na organização do mercado interno, incentivando empresas a se voltarem para as demandas dos mais pobres, ao mesmo tempo em que promovem a coesão social e um ambiente dinâmico e tranquilo para justiça social. Nosso propósito é estabelecer as bases de um Estado mais justo e solidário, rumo a uma sociedade onde todos tenham os mesmos direitos e oportunidades.

Patrus Ananias é ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Maria Fernanda Ramos Coelho é presidenta da Caixa Econômica Federal

Fidel Castro está ''forte e dinâmico'', diz diretora da OMS

A diretora da Organização Mundial de Saúde (OMS), Margareth Chan, disse nesta quarta-feira que encontrou o ex-líder cubano Fidel Castro em Cuba e que ele parece muito “forte e dinâmico”.

Em uma coletiva de imprensa em Havana, Chan afirmou que passou mais de duas horas conversando com Castro na terça-feira.

Ela não entrou em detalhes sobre o estado de saúde do ex-líder, alegando “confidencialidade médica”, mas disse que Castro, de 83 anos, aparenta estar “forte”.

“Tivemos uma longa conversa e muito dinâmica. Foi uma lição de humildade. Ele me levou até o portão da casa, que era bem distante, então está muito forte. E não esqueça: sou mais jovem que ele”, disse Chan, que confessou ter ficado cansada com a caminhada. Ela afirmou ainda que o ex-líder se mantém muito bem informado sobre os acontecimentos em Cuba e no exterior. “Tenho que dizer que o conhecimento de Fidel Castro sobre a importância da saúde, especialmente da saúde pública, é impressionante”, afirmou.(Informações da BBC Brasil)

Crescimento de 3,5% tira EUA da recessão

Estados Unidos registra o primeiro PIB positivo desde o segundo trimestre de 2008 e o maior dos últimos dois anos

A economia dos Estados Unidos saiu tecnicamente da recessão no terceiro trimestre, resultado de um aporte de US$ 787 bilhões do governo para evitar a depressão. O crescimento anualizado de 3,5% do PIB norte-americano é o primeiro desde o segundo trimestre de 2008 e o maior em dois anos. O consumo, que responde por cerca de 70% da atividade econômica, e os investimentos residenciais foram os principais motores do crescimento, impulsionados por programas de estímulo do governo como o "dinheiro por sucata" e de incentivo fiscal para a aquisição do primeiro imóvel.

Antes da expansão no terceiro trimestre, a economia dos EUA havia registrado contração por quatro trimestres consecutivos pela primeira vez desde a Grande Depressão, da década de 1930, ou em mais de 70 anos. No ano passado, a economia norte-americana registrou contração de 2,3%. Este ano, o PIB dos EUA caiu à taxa anualizada de 6,4% no primeiro trimestre e de 0,7% no segundo trimestre - em termos ajustados sazonalmente e ajustados a alterações dos preços.

O número divulgado nesta quinta-feira ainda vai passar por revisões e, embora esteja sendo considerado o sinal do fim da recessão, a palavra oficial sobre o encerramento do ciclo cabe ao Birô Nacional de Pesquisa Econômica (NBER, na sigla em inglês), que declarou o começo da recessão em dezembro de 2007.

O grupo privado ainda precisa anunciar a data do término da recessão. De qualquer forma, o PIB do terceiro trimestre tirou os mercados do limbo e revigorou as compras nas bolsas, ativou o apetite por risco, projetando euro e commodities em alta. Mas, provavelmente, após as comemorações, os investidores irão voltar-se à questão sobre a sustentabilidade do ritmo de crescimento, tendo em vista o fim dos programas que estimularam a economia no terceiro trimestre e o desafio do desemprego que continua elevado. Os economistas estimam que a taxa de desemprego deva chegar a 10%.

O programa "dinheiro por sucata", pelo qual o governo incentivou a troca de carros velhos por novos, terminou em agosto e o programa de US$ 8 bilhões de crédito fiscal para a compra do primeiro imóvel está prestes a expirar. Segundo o Departamento do Comércio, os gastos com consumo subiram 3,4% no terceiro trimestre, contribuindo com 2,36 pontos percentuais no crescimento.
O componente de investimento residencial registrou seu primeiro desempenho positivo desde o último trimestre de 2005. Os investimentos residenciais fixos saltaram 23,4% no terceiro trimestre, a maior alta desde 1986.

A presidente do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca, Christina Romer, disse que os esforços de estímulo do governo puxaram o crescimento, apontando para as projeções dos economistas do setor público e privado de que adicionaram entre três a quatro pontos percentuais ao crescimento real do PIB no terceiro trimestre.

Jornal do Comércio

MEC inclui mais dois cursos de medicina em supervisão e corta 110 vagas

Dois cursos de medicina foram incluídos no processo de supervisão do Ministério da Educação (MEC) e tiveram que cortar 110 vagas. Na Faculdades Integradas Aparício Carvalho (RO), o vestibular foi suspenso, e a Universidade Nove de Julho (SP) teve que reduzir 30 das 100 vagas anuais que oferecia. Apesar de não terem conceitos insatisfatórios nas avaliações do ministério, os cursos foram visitados por uma comissão de avaliação depois que a pasta recebeu denúncias sobre os problemas na oferta do ensino.

“A supervisão funciona a qualquer tempo. Qualquer curso ou instituição pode receber a visita se o ministério receber uma denúncia consistente”, afirmou a Secretária de Ensino Superior, Maria Paula Dallari Bucci.

Segundo o MEC, a Universidade Nove de Julho estava recebendo alunos por meio de transferências além de sua capacidade, o que acabava inchando as turmas. Já na Faculdades Integradas Aparício Carvalho, a deficiência estava na parte prática do curso, pois faltam hospitais e pacientes suficientes na região para que os alunos possam cumprir as atividades estabelecidas pelas diretrizes curriculares do curso de medicina.

“Isso mostra que há mesmo um limite físico, não se pode abrir um curso de medicina em cidades saturadas”,
disse.

Por medida cautelar, o MEC já havia suspendido 580 vagas em sete cursos de medicina que tinham recebido o conceito insatisfatório em avaliações como o Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes (Enade). Essas instituições já foram visitadas e as vagas permanecem suspensas pelo menos até janeiro de 2010, quando vence o prazo para que as faculdade cumpram algumas medidas firmadas em acordo para melhorar a qualidade do ensino. Após esse período será feita uma nova visita pela comissão do MEC.

“Cortar vagas não é uma punição, mas uma medida de prevenção para a proteção dos alunos. Em geral, nas instituições em que há corte de vagas ou suspensão do vestibular, as condições melhoram porque elas param de admitir novos alunos e se focam na resolução do problema”, explicou Maria Paula.

Os principais problemas verificados pelo ministério nas instituições que estão em supervisão são o corpo docente com baixa titulação, a inadequações do curso às diretrizes curriculares de medicina, falta de espaço para prática, além de laboratórios e equipamentos precários.
AG

Escolas públicas do RN receberão R$ 200 mil em livros

Noventa e sete escolas estaduais subordinadas às Diretorias Regionais das cidades de Angicos, Currais Novos, Caicó serão beneficiadas com o Programa Cheque Livro, do Governo do Estado. A entrega será feita durante a abertura da Feira do Livro, que vai acontecer na Ilha de Santana, em Caicó, nesta quinta-feira (29). Serão investidos R$ 200 mil na compra de livros, durante a feira, que serão de uso exclusivo das bibliotecas das escolas contempladas.

A entrega dos livros ficará sob a responsabilidade do "Balcão de Atendimento às Escolas", órgão supervisionado pela Coordenadoria de Desenvolvimento Escolar (Codese). Das escolas beneficiadas com o Cheque Livro, 42 pertencem à Dired de Caicó, 36 à Dired de Currais Novos e 19 à Dired de Angicos.

A 1ª Feira do Livro do Seridó vai acontecer no período de 29 de outubro a 1º de novembro, em Caicó, durante a festa do Rosário. A expectativa é que o evento receba um público em torno de 20 mil visitantes. Durante quatro dias, o público contará com programação literária, que inclui a presença de escritores, saraus, atrações artística, debates, oficinas de ilustração, contadores de histórias, lançamentos e comercialização de publicações dos mais diferentes gêneros.

O cantor e escritor Gabriel, O Pensador, participará da Feira. O evento contará, ainda, com a presença do diretor Nacional de Livro, Leitura e Literatura do Ministério da Cultura, Fabiano dos Santos.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Crack avança para fora das periferias

Especialista diz que no RN, a exemplo do restante do país, pelo menos 40% dos usuários são de classe média

Uma pedra. É através de uma que muitos usuários de crack se tornam dependentes químicos. Segundo especialistas, o crack aos poucos rompe os limites dos bairros periféricos e chega aos bairros nobres da cidade. É o que explica o psicólogo Paulo Pessoa, que coordena o Centro de Apoio Psicossocial na Zona Norte (Capes AD

Norte). Segundo ele, o consumo de crack não se restringe apenas à periferia. "Ele está penetrando cada vez mais na classe média". Pesquisa realizada pela Associação Brasileira do Estudo do Álcool e Outras Drogas revela que 40% dos dependentes no Brasil são da classe média. Esta média também se aplica ao Rio Grande do Norte.

De acordo com dados do Fórum Estadual Permanente de Políticas Públicas sobre Drogas, 90% dos adolescentes envolvidos em atos infracionais têm ligação com as drogas, 85% dos homens cumprem pena por envolvimento com o tráfico e 65% das mulheres do sistema prisional estão detidas por algum crime ligado aos entorpecentes no Rio Grande do Norte. Estima-se que de dez homicídios registrados pela polícia, oito tenham alguma relação com as drogas. O que mostra que o consumo de drogas tem relação direta com a prática de assaltos, furtos e até homicídios.

Paulo Pessoa descreve esse ciclo. "Para manter o consumo, o dependente começa a vender seus pertences, depois vende os objetos de sua casa, e depois passa a vender os objetos da casa de familiares", explica. Embora, o consumo de droga esteja relacionado com a criminalidade, o número de apreensões de crack está caindo, segundo dados da Polícia Federal e da Delegacia Especializada em Narcóticos, que apreendeu nove quilos de crack até outubro de 2009. Em 2008, a quantidade de crack apreendido chegou a 15kg. Já em 2007, a Denarc conseguiu apreender 11kg. Segundo o chefe de investigação da Denarc, Lisandro Moreira, dez quilos da droga podem ser transformados em até 50 mil pedras. Já a Polícia Federal registrou redução na apreensão de crack de 63,7 kg em 2008 para 5,2 até outubro de 2009.

Devastadora

Considerada a droga mais devastadora, o crack faz dependentes em todas as faixas etárias. Paulo Pessoa explica que a média de atendimentos no Capes Norte chega a 130 por mês. Mas a demanda pelo serviço é ainda maior. Do total de dependentes atendidos, 90% são dependentes "clínicos gerais" que usam todos os tipos de droga. O restante é dependente de álcool, droga considerada lícita, mas que serve de porta de entrada para as drogas mais pesadas. Segundo Paulo Pessoa, o número de crianças que usam drogas aumenta cada dia. Em Natal, um dos Centros de Apoio Psicossocial em Natal é destinado somente a atender crianças e adolescentes entre cinco e 18 anos de idade que usam drogas

Tendo ácido sulfúrico, cocaína, amônia e até cimento - em alguns casos - em sua composição, o crack pode causar dependência em poucos meses. Em menos de um ano de consumo, o dependente pode apresentar problemas nos sistemas cardiorespiratório e digestivo. O crack, que leva apenas oito segundos para chegar até o cérebro e surtir efeito, afeta diretamente o sistema nervoso central, provocando convulsões, alucinações e até a morte. O que mostra que a droga de efeito mais rápido também é a mais nociva.

Investimentos federais

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse que o tratamento oferecido a usuários de crack no país é falho, mas anunciou que o governo federal vai investir R$ 110 milhões para reforçá-lo. Os recursos serão destinados a criar 2,5 mil leitos em hospitais gerais que terão capacidade de atender até 12 mil usuários.

"Reconhecemos que existem falhas, nem todas as pessoas que precisam de atendimento neste momento conseguem no tempo que gostariam, mas o plano que está sendo implementado vai trazer resultados", afirmou o ministro, que participou hoje (28) da abertura do Fórum Global em Atendimento ao Trauma, promovido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Temporão, no entanto, não informou detalhes sobre a liberação do dinheiro.

Ele destacou que o crescimento do uso da droga preocupa as autoridades e garantiu que o ministério está atento à questão. Para o ministro, trata-se de um problema "gravíssimo". "É um problema sério de dependência que devasta a pessoa e afeta as grandes cidades brasileiras", acrescentou.
Diário

Fátima recebe Medalha Juscelino Kubitschek pelo trabalho em defesa dos Institutos Federais de Educação

Fátima recebeu Medalha Juscelino Kubitschek


O Conselho das Instituições da Rede Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Conif) homenageou na noite desta terça-feira(27) a deputada federal Fátima Bezerra com a Medalha Juscelino Kubitschek.

A medalha foi entregue durante a abertura da 33ª Reunião dos Dirigentes de Instituições Federais de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Reditec), realizada em Bento Gonçalves (RS).

Para o reitor do IFRN, professor Belchior de Oliveira Rocha, que participou do evento juntamente com todos os diretores do Instituto no Estado, a homenagem a Fátima Bezerra foi justa.

“Foi um reconhecimento do Conselho ao trabalho que a deputada tem feito para o fortalecimento dos Institutos de todo o Brasil, e não só o do Rio Grande do Norte, por meio da Comissão de Educação”, disse Belchior.

O presidente do Conif, professor Paulo César, afirmou que o Conselho seleciona a cada ano duas pessoas que prestaram relevantes serviços à rede federal e a deputada petista foi uma das escolhidas pelas ações realizadas em prol da educação profissional e tecnológica no Brasil.

Fátima se emocionou ao receber a condecoração. “Dedico esta homenagem aos estudantes pobres do país, aos filhos do povo, que agora têm realizado o sonho de acessar um curso profissionalizante de qualidade como são os Institutos Federais de Educação Tecnológica”, enfatizou a parlamentar.

Wanderley

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Jovens trabalham sem concluir o ensino médio

Apesar dos avanços nos últimos dez anos, quase dois terços dos jovens de 18 a 24 anos no país começam a trabalhar sem ter concluído o ensino médio.

Segundo a síntese dos Indicadores Sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada esse mês, o percentual dessa faixa que haviam, pelo menos, concluído o nível médio foi de 37% em 2008. Olhando para trás, o avanço foi significativo, pois a taxa, que estava em 18% em 1998, dobrou em dez anos.

Apesar da melhoria, o país ainda está distante do padrão dos desenvolvidos, tendo avançado em ritmo menor que algumas nações. Os técnicos do IBGE verificaram a tendência de aumento da frequência escolar na primeira infância, embora em ritmo ainda lento. O maior crescimento da taxa ocorreu na faixa dos quatro a seis anos: de 57,9% para 79,8% entre 1998 e 2008. Crianças de até três anos, a taxa de frequência escolar passou de 8,7% para 18,1%, no período

A pesquisa a aponta que 8% das crianças de nove anos ainda não haviam sido alfabetizadas. Na faixa de 15 a 17 anos, em que o jovem deveria estar cursando o ensino médio se não houvesse atraso em sua trajetória escola, 51% estavam no nível adequado para sua idade. Em 1998, a taxa era de 30%. No Nordeste, a proporção chegava a 16%.

dicas-de-cursos-profissionalizantes-mais-procuradosDados do IBGE mostram que, em 2008, 1,2 milhão de jovens de 18 a 24 anos não exerciam atividade produtiva, não trabalhavam, não estudavam e não ajudavam em afazeres domésticos. O número representava 5,37% do total da população nessa faixa etária.

Segundo os pesquisadores, o fenômeno se deve em boa parte ao desemprego, mas outros fatores, como deficiências, doenças ou simplesmente falta de ocupação, também pesaram. Alvo de investimentos ainda tímidos, o ensino profissionalizante é capaz de aumentar em até 37,4% o rendimento médios dos jovens que o cursaram.

O Ceará tem avançado nessa questão. Hoje a procura por cursos profissionalizantes aumentou em quase 30%. Vamos ficar atentos a essa questão. Muitas oportunidades de emprego surgem e os jovens não estão capacitados para as funções. Estudar ainda é a solução!

Exemplos submundos dos países de primeiro mundo

Os países de primeiro mundo são aqueles, segundo a teoria dos mundos, que possuem forte economia e altos índices de indicadores sociais como qualidade de vida. Os de segundo mudo eram designados originariamente os países comunistas em geral.

A mesma teoria dos mundos enquadrou entre os países de terceiro mundo as nações subdesenvolvidas situadas na América latina, Ásia e África. O termo aferido oficialmente em 1955, na Conferência de Bandung, na Indonésia, aos poucos foi perdendo força e adquirindo a referência de países em desenvolvimento.

Torna-se importante destacar que os países de primeiro mundo exercem um forte domínio sobre os de terceiro e estes querem em tudo imitar aqueles, sendo que, nem sempre é o melhor o que surge, nos ditos, países desenvolvidos.

A Suíça, pequeno estado confederal, situado no centro da Europa, possui uma população com pouco mais de sete milhões de habitantes e uma renda per capita de US$ 49.367,00, a segunda maior do planeta, perdendo apenas para Noruega. Neste país, desenvolvido economicamente, não o é da mesma forma enquanto promotor da dignidade humana.

Subsidiado pelo governo existe na Suíça um centro de atendimento a pessoas usuárias de drogas. O local funciona como os correios. A pessoa traz o entorpecente que usa e aguarda ser chamado no painel eletrônico. Depois entra numa sala na qual se encontra todo material necessário: colher, seringa, agulha, água, ácido ascórbico (que junto com água ajuda a diluir a heroína), panos com álcool e um creme cicatrizante para as veias.

Tudo financiado com dinheiro público – isso mesmo- trata-se de um investimento do governo.

Ações deste porte, infelizmente, se espalham e muitos países de terceiro mundo as denominam de um conjunto de políticas públicas de sucesso. Suspiram pensando, isso sim é liberdade, sinal de um estado liberal. Mas, Será Mesmo?

É inadmissível o poder público bancar a morte de seus cidadãos. Acostumá-los ao vício e ao estado néscio.

No Brasil já se fala nas políticas de redução de danos.

PEDOFILIA

A pedofilia é antes de tudo um crime hediondo e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é considerada uma doença. No entanto, em um mundo marcado pelo pecado, assolado pela ditadura do relativismo prático, perde-se cada vez mais a noção de limite, ético e racional.

A Holanda, país na lista dos, segundo a teoria dos mundos, nação de primeiro mundo, cada dia mais laicizado mergulha num inverno ético tenebroso. As consciências parecem adormecidas. A noção de mal é totalmente esquecida e subjugada ao ermo.

Neste país foi consentida a criação de um partido que tem à frente três pedófilos – acusados no tribunal por vários crimes de pedofilia. Eles reivindicam baixar a idade legal para se ter relação sexual de 16 para 12 anos. A legenda NVD (numa tradução livre significa, contraditoriamente, amor ao próximo) também sustenta que:

A televisão possa exibir pornografia a qualquer hora;

Os jovens de 16 anos já possam exercer a prostituição;

A nudez seja livre;

A instituição do casamento seja abolida e;

A pornografia infantil seja aceita;

A situação é tão caótica que mesmo os conservadores da Holanda consideram legal a instituição de tal partido, embora tenha como bandeira ideologias tão perniciosas.

A humanidade está como uma árvore pesada, cheia de frutos podres. A esperança garante que esses frutos cairão e novos surgirão. A nós cabe a grave missão de semear o amor e cuidar da parte da vinha do Senhor, o seu Reino, do qual faz parte a humanidade que hoje sofre.

Teste garantirá inviolabilidade das urnas eletrônicas

Vinte e seis hackers e técnicos em informática vão desafiar a segurança das urnas eletrônicas, que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garante serem à prova de qualquer tipo de violação.

Eles aceitaram o convite da Corte e, durante quatro dias, quebrarão a cabeça em busca de falhas no sistema de votação e processamento de resultados.

Os testes serão realizados entre 10 e 13 de novembro, e os candidatos que se saírem melhor receberão prêmios de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil, informou O Globo.

FRASE

"Triste não é mudar de idéia. Triste é não ter idéias para mudar".

Francis Bacon

Concurso para gari atrai doutores, mestres e pós-graduados

Um fato inusitado chamou atenção no concurso para gari da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) do Rio de Janeiro. É que dentre os 109.193 concorrentes a 1,4 mil vagas, 45 afirmaram ter doutorado, 22 mestrado e 80 pós-graduação, segundo registros da Comlurb. Os números são do dia 21 deste mês, mas as inscrições se estenderam até a última sexta-feira (23).

Os candidatos disputam uma vaga com remuneração de R$ 486,10 mensais, com direito a plano de saúde, ticket refeição, no valor mensal de R$ 237,90, e vale-transporte. De acordo com os registros da Comlurb, apesar dos candidatos que se afirmaram doutores e mestres, a maioria dos inscritos afirma possuir o ensino fundamental: 57.455 candidatos.

Na sequência vêm as pessoas com nível médio, 47.385 inscrições. No superior incompleto estão 3.180 canditatos. Há, ainda, 1.026 inscritos que afirmaram ter o nível superior completo. Mas apesar dos números, a própria Comlurb afirmou não ser possível saber se de fato o nível de escolaridade informado pelos candidatos é verdadeiro.

Com informações do G1

domingo, 25 de outubro de 2009

Com gol de Adriano, Fla vence e esquenta briga pelo título

Adriano se igualou a Diego Tardelli, do Atlético-MG, na artilharia do Brasileiro:
ambos somam 16 gols
O público no Engenhão ficou longe do esperado. No entanto, quem não foi perdeu um clássico emocionante e mais um triunfo rubro-negro no Brasileirão. Ao vencer o Botafogo por 1 a 0 com gol de Adriano, na noite deste domingo, o Flamengo ampliou a sua invencibilidade e se manteve colado ao G-4. De quebra, deixou o rival, que perdeu um pênalti, na zona do rebaixamento.

Com 32 pontos, o Botafogo está atrás de Santo André e Náutico, que venceram na rodada e têm a mesma pontuação do Alvinegro, mas levam a melhor nos critérios de desempate. Com isso, o time de General Severiano é o 18º e sofreu sua segunda derrota em clássicos contra rivais cariocas dentro da sua "casa" em sua história.

Alheio ao desespero adversário, o Flamengo, que tem 100% de aproveitamento quando atua no Engenhão, manteve o embalo no Campeonato Brasileiro. A equipe dirigida por Andrade alcançou dez jogos sem perder, sua maior série na história dos pontos corridos.

Adriano faz gol na raça e Bruno pega pênalti


Quando a bola rolou, o Botafogo foi a campo com três atacantes, com o volante Batista na vaga de Léo Silva. No Flamengo, Fabrício substituiu Ronaldo Angelim, suspenso, enquanto Fierro entrou no lugar do também suspenso Willians.

Foi o chileno quem perdeu a primeira oportunidade do jogo, logo aos 3min, ao bater de primeira para fora. A partir daí, as chances se sucederam de ambos os lados, com os times deixando a desejar na marcação pelos flancos. Aos 19min, lance duvidoso em disputa de bola entre Lucio Flavio e Maldonado. Os alvinegros pediram pênalti, mas o árbitro ignorou.

A rede só balançou aos 31min, com Adriano. Depois de perder gol feito aos 23min, quando chutou fraco, nas mãos de Jefferson, o Imperador não perdoou. Bem ao seu estilo, ganhou na força de dois zagueiros e desta vez o arremate foi forte, preciso.

Depois disso, o Botafogo se desarrumou e o Flamengo aproveitou para explorar os contra-ataques. Aos 38min, Pet iniciou contra-ataque que terminou com bola para fora batida por Fierro.

O segundo tempo começou com André Lima tentando duas vezes o empate, sem sucesso. Aos 13min, Estevam Soares deixou o time com quatro atacantes: tirou o volante Batista e colocou Victor Simões. Em seguida, Andrade sacou Petkovic e lançou Gil, que fez sua estreia pelo Flamengo.

Aos 25min, um lance polêmico. André Lima caiu em disputa no alto com Airton e o árbitro desta vez marcou pênalti, para revolta dos jogadores rubro-negros. Entretanto, Bruno brilhou e defendeu a cobrança de Lucio Flavio, para desespero alvinegro e delírio flamenguista.

STJ decide que Wilma de Faria praticou improbidade administrativa em Natal

Allan Darlyson

Um ano antes de deixar o governo para disputar uma vaga no Senado, a governadora Wilma de Faria (PSB) terá que enfrentar uma batalha judicial. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concluiu que a governadora, quando foi prefeita de Natal, praticou ato de improbidade administrativa ao utilizar a Procuradoria Municipal para representá-la judicialmente na Justiça Eleitoral durante o período das eleições de 2000. Resta á governadora recorrer á última instância, o Superior Tribunal Federal (STF), para não ser condenada.

Por maioria, a Segunda Turma do STJ determinou o retorno dos autos ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) para a aplicação de eventuais sanções cabíveis. Antes do julggamento do STJ, o TJRN entendeu que a representação do chefe do Poder Executivo Municipal pela Procuradoria-Geral do Município durante o período eleitoral não configura ato de improbidade administrativa.

O processo foi parar no STJ devido à uma ação do Ministério Público Estadual (MPE), que recorreu da decisão do TJRN, sustentando que a utilização da procuradoria pela prefeita e candidata à reeleição configurou, sim, improbidade administrativa, nos termos do artigo 9º, inciso IV, da Lei n. 8.429/92.

Em voto-vista, o ministro Mauro Campbell concordou com o voto do relator, ministro Humberto Martins, que argumentou: “para constatar se o uso de procuradores municipais na defesa de agente político candidato à reeleição perante a Justiça Eleitoral configura improbidade administrativa, é necessário perquirir se, no caso concreto, há ou não interesse público que justifique a atuação desses servidores”. Entretanto ele divergiu em relação à sua aplicação no caso específico.

Acompanhando o voto divergente, a Turma entendeu que, no caso questão, está claro que não houve a presença do interesse público necessário para justificar a atuação dos procuradores municipais na defesa da prefeita perante a Justiça Eleitoral. Segundo o ministro Mauro Campbell, os autos relatam que foi proposta ação de investigação judicial eleitoral com a finalidade de apurar uso indevido de recursos públicos, abuso de poder de autoridade, abuso de poder político e econômico em benefício da prefeita e candidata à reeleição Wilma Maria de Faria.

“Portanto, não há como reconhecer a preponderância do interesse público quando um agente político se defende em uma ação dessa natureza, cuja consequência visa atender interesse essencialmente privado, qual seja, a manutenção da elegibilidade do candidato”, ressaltou em seu voto.

Por outro lado, acrescentou o ministro, revela-se contraditória a afirmação de que haveria interesse secundário do Município a ensejar a defesa por sua Procuradoria, na medida em que a anulação de um ato administrativo lesivo, ao invés de lhe imputar ônus, apenas lhe daria benefícios econômico-financeiros.

Para Mauro Campbell, a conduta praticada pela sentão prefeita de Natal configura improbidade administrativa, descrita no artigo 9º, inciso IV, da Lei n. 8.429/92, devendo os autos retornarem à instância de origem para que, com base na análise do conjunto fático-probatório, sejam aplicadas, se for o caso, as sanções cabíveis. O voto foi acompanhado por maioria, ficando vencido o relator, Humberto Martins.

sábado, 24 de outubro de 2009

Pais devem ficar atentos contra crimes via internet


A utilização da internet, principalmente por crianças e adolescentes, exige muita atenção. De acordo com o assessor de prevenção da organização não governamental SaferNet Brasil, Rodrigo Nejm, o mundo virtual apresenta os mesmos perigos que o mundo real. Para ele, da mesma forma que os pais orientam seus filhos a não falarem com estranhos na rua, é importante orientá-los a não conversar com desconhecidos na internet.

Segundo dados da ONG, no primeiro semestre deste ano 55% das mais de 44,5 mil denúncias de crimes na web se referiam à pornografia infantil. O crime pode ocorrer de várias formas. Há casos, por exemplo, nos quais as crianças são coagidas a fotografar o próprio corpo, ou exibi-lo por uma webcam.

Em outras situações, o assédio acontece de forma mais sutil, quando os agressores induzem as crianças a falarem sobre sexo. De acordo com Marcus Fonseca, coordenador de desenvolvimento de sistemas do Instituto Brasileiro de Informações em Ciência e Tecnologia (IBICT), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, é importante que os pais incentivem o uso educativo da internet de modo que as crianças acessem sites de conteúdo positivo, educativos ou de entretenimento previamente selecionados, onde a navegação é segura.

Outra opção é a instalação de bloqueadores de conteúdo, programas de fácil instalação que impedem que a criança acesse sites com pornografia ou violência. Apesar dos cuidados, os pais ainda devem ficar bem atentos.

MEC quer centralizar compra de uniformes



O Ministério da Educação (MEC) planeja centralizar as compras de uniformes e móveis escolares de alunos dos ensinos básico e médio das redes municipal e estadual e medicamentos para hospitais universitários, da mesma forma que já faz com ônibus e barcos para transporte escolar.

A ideia é usar a capacidade do MEC de fazer um pregão nacional para obter preços menores para estados e municípios que se interessarem em participar de uma espécie de consórcio. A intenção é que secretarias estaduais e municipais se unam ao ministério e façam as compras necessárias por um só pregão. A compra de uniformes pelo mesmo sistema ainda está em estudo pelo ministério.

A proposta foi apresentada ao governo pela Associação Brasileira de Indústria Têxtil, interessada no mercado de 50 milhões de estudantes, e por prefeitos e parlamentares. O MEC esclarece que os uniformes não seriam pagos apenas pelo governo federal, mas também pelos estados e municípios.

Será uma boa proposta?

Collor agora é imortal em Alagoas

“Senador por Alagoas, o ex-presidente da República Fernando Collor de Melo (PTB) tomou posse na noite desta sexta-feira (23) como o novo imortal da Academia Alagoana de Letras (AAL). Mesmo sem ter publicado nenhum livro, o ex-presidente foi eleito no último dia 2 de setembro, com 22 votos a favor e oito contra.

Contendo o choro em três momentos do discurso, Collor ressaltou que assume a vaga na Academia “honrado”, já que AAL abrigou durante anos o seu pai

Em uma cerimônia concorrida, Collor aproveitou para anunciar que o primeiro livro publicado de sua autoria trará a versão dele sobre o impeachment de 1992. “Todos me perguntam sobre o livro. Ele trará revelações, está pronto e será lançado num momento oportuno”, assegurou o senador, sem dar pistas sobre a data de lançamento.

Para concorrer à vaga na Academia, Collor apresentou sete obras, todas impressas por gráficas oficiais e que nunca foram vendidas em livrarias. A última delas foi uma publicação da gráfica do Senado intitulada “Relato para a História”, que traz na íntegra o discurso que fez no Senado em 2007 apresentando fatos sobre sua saída da Presidência.

Contendo o choro em três momentos do discurso, Collor ressaltou que assume a vaga na Academia “honrado”, já que AAL abrigou durante anos o seu pai, Arnon de Melo. “Aqui sinto-me bem, em casa, e porque não dizer, em família. Essa é uma homenagem a alguém que ao longo de sua vida sempre contribuiu com as discussões de políticas sociais”, disse o senador.

Na saída, indagado pelo UOL Notícias sobre a sugestão do colega imortal da AAL, Lêdo Ivo, para que tente uma vaga na Academia Brasileira de Letras (ABL), Collor sorriu. “Devagar com o andor”, disse. Lêdo Ivo é também imortal da ABL.”

(Folha Online)

Documentário sobre Chacrinha terá “chacretes” como destaque


A revista Veja desta semana traz matéria sobre Chacrinha, alvo de documentário que está para estrear. Nesse trabalho, o destaque será para as belas dançarinas do seu programa, as inesquecíveis “chacretes”. Confira:

“Com seus bordões que até hoje são lembrados (”Quem não se comunica se trumbica”), seu figurino carnavalesco e sua pança pantagruélica, Chacrinha – no registro civil, José Abelardo Barbosa de Medeiros (1917-1988) – foi uma das figuras mais exóticas da história da televisão brasileira. Seu jeitão popularesco e escrachado fez escola, para o bem e para o mal – em certo sentido, ele é antecessor tanto do deboche do Casseta & Planeta quanto das baixarias do Ratinho. No entanto, no documentário que lhe é dedicado, Alô, Alô, Terezinha (Brasil, 2009), que estreia nesta sexta-feira, Chacrinha acaba em parte obscurecido por aquelas que eram figurantes de seu programa de auditório: as dançarinas conhecidas como chacretes. O diretor Nelson Hoineff entrevistou várias delas, em depoimentos que vão do engraçado ao patético.

Em uma das cenas mais bizarras, a ex-chacrete Índia Potira rebola, nua, dentro de um chafariz, lembrando os tempos em que chamava os comerciais do Cassino do Chacrinha. Sua vida pós-televisão foi acidentada: envolveu-se com drogas, foi presa e se apaixonou por um traficante na cadeia. Vera Furacão, sua ex-colega de trabalho, conta aventuras sexuais, as quais incluiriam (diz ela) Silvio Santos e Chico Buarque. Rita Cadillac – a única que conservou alguma notoriedade, como atriz pornô – afirma que sua lista é maior: “Só faltaram o Vanderlei Luxemburgo e o José Mayer. Se derem mole, eu traço”, vangloria-se. Outras chacretes seguiram carreira modesta: Fátima Boa Viagem vende cachorro-quente no interior do Rio de Janeiro, Beth Boné celebra cultos evangélicos em casa com o marido e Cléo Toda Pura virou garçonete.

Alô, Alô, Terezinha não é uma biografia do Velho Guerreiro, mas uma tentativa de dimensionar sua importância para a televisão, a cultura popular e a indústria fonográfica: o artista que se apresentava em seu programa podia contar com uma boa execução radiofônica. As cenas dos shows de calouros são por vezes dolorosas. O apresentador debochava impiedosamente de cantores gagos ou com jeito afeminado. Alô, Alô, Terezinha chega aos cinemas embalado pela publicidade na internet: um vídeo do cantor Biafra sendo atingido por um parapente enquanto cantava Sonho de Ícaro (”Voar, voar / subir, subir’’) para a gravação de um depoimento sobre Chacrinha virou hit do site YouTube, com mais de 410 000 exibições. Biafra, aliás, ressurgiu graças ao vídeo. Chacrinha, de além-túmulo, ainda é um tremendo promotor dos amigos músicos.”

(Revista Veja)

Lula, o filme: a campanha está no ar

Saúde abre concurso para 809 vagas

O Ministério da Saúde publicou ontem, edital de concurso para preencher 806 vagas de nível superior e médio nos 26 estados e no Distrito Federal. No Rio Grande do Norte são 12 vagas, entre elas uma de médico especializado em medicina do trabalho. As 25 categorias de trabalho são destinadas à sede do Ministério em Brasília e aos núcleos estaduais localizados nas capitais. O concurso também prevê vagas em hospitais e em institutos do Rio de Janeiro. Do total de vagas, 36 são para portadores de deficiência. As inscrições começam no dia 2 de novembro e vão até o dia 17.

O salário para nível médio é de R$ 1.910,95 e para nível superior, R$ 2.222,72, na Carreira da Previdência da Saúde e do Trabalho (CPST). Para o cargo de analista técnico administrativo, o salário (nível superior) será um pouco maior porque as vagas integram o Plano Geral de Carreiras do Poder Executivo (PGPE). São 150 postos no total. A remuneração é de R$ 2.643,28. As gratificações já foram acrescidas no valor total dos vencimentos. A jornada de trabalho dos aprovados vai variar de 20 a 40 horas semanais, dependendo do tipo de cargo.

Para nível médio, o cargo oferecido é de técnico de contabilidade. Para nível superior as especialidades são: analista técnico-administrativo, administrador, arquiteto, arquivista, assistente social, bibliotecário, contador, economista, engenheiro civil, engenheiro eletricista, estatístico, farmacêutico, nutricionista, psicólogo, químico, técnico em assuntos educacionais, técnico em Comunicação Social – Jornalismo, técnico em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, fonoaudiólogo, cardiologista, clínico médico, médico - Medicina do Trabalho/Saúde Ocupacional e psiquiatra.

“O concurso faz parte da estratégia de recomposição da força de trabalho do Ministério da Saúde e visa substituir trabalhadores terceirizados e aposentados”, explica a assessora técnica e coordenador-substituta da Coordenação Geral de Recursos Humanos do MS, Heloísa Marcolino. “Numa primeira etapa foi realizado o concurso de nível médio, agora vamos realizar o concurso principalmente para a área administrativa de nível superior. E ainda aguardamos a criação da carreira de analista de políticas sociais para secretarias do Ministério”, disse.

Ministério prepara edital de novos concursos

O ministro José Gomes Temporão informou que o concurso para preenchcimento de 806 vagas de nível superior será realizado pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília (UnB). As provas serão objetivas e avaliarão habilidades e conhecimentos específicos, com data prevista para 20 de dezembro. Elas serão aplicadas nas capitais de provimento das vagas.

As taxas de inscrição custam R$ 38,00 para nível médio e R$ 44,00 para nível superior. As inscrições são feitas pela internet, no endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/msadministrativos2009, a partir das 10h do dia 02 de novembro até às 23h59 de 17 de novembro.

Até o fim do ano, o Ministério da Saúde lançará mais dois editais para preencher 661 vagas em hospitais e institutos do Rio de Janeiro. O primeiro proverá 467 postos de médicos em diversas especialidades a serem definidas. O segundo preencherá 160 vagas de nível médio e 34 de nível superior (médicos) no quadro do Instituto Nacional do Câncer (Inca) do estado.

STF acolhe tese sobre concurso para cartórios

O Supremo Tribunal Federal (STF) acolheu a defesa da Advocacia-Geral da União (AGU) de que é necessário prestar concurso público para obter a concessão de um cartório. A tese da Secretaria-Geral de Contencioso (SGCT) da AGU foi confirmada na sessão plenária da última quarta-feira (21/10). A decisão foi tomada de forma unânime no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 3978, ajuizada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. A entidade questionava os artigos 19, 20 e 21, da Lei nº 14.083/07 do Estado de Santa Catarina, que suspendiam os concursos para cartórios em andamento e mantinham os mesmos donos nomeados até 21 de novembro de 1994. A lei impedia a realização do concurso marcado para o próximo dia 27 de outubro.

A AGU sustentou a inconstitucionalidade dos artigos, já que a Constituição Federal exige no artigo 236, parágrafo 3º, concurso público de provas e títulos para o ingresso nessa atividade. O concurso só não é exigido aos serviços notariais e de registro que já tenham sido oficializados pelo Poder Público, conforme prevê o artigo 32 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

As manchetes do dia



Folha de S.Paulo
Compra de ações por estrangeiros é a maior em 62 anos

O Estado de S.Paulo
Órgãos que fiscalizam obras 'travam o Brasil', diz Lula

Jornal do Brasil
Ação do TCU vira bate-boca

O Globo
Lula: fiscalização trava o país. PAC: PF indicia 22 por fraude

Correio Braziliense
Emergência no nosso bolso

Estado de Minas
Avenida sem lei

Diário do Nordeste
Criança morre ao cair dentro de buraco em ônibus escolar

A Tarde
Quatro mortes por meningite em nove horas deixam Porto Seguro em pânico

Extra
AfroReggae: polícia investiga se mais PMs participaram do crime

Correio do Povo
Lula diz que está fazendo ''lista de absurdos'' do TCU

Zero Hora
Juiz federal põe sob suspeita negociação do Incra em São Gabriel

Folha de Pernambuco
Ministério e TRE abrem concursos

Jornal do Commercio
Prevenção à violência na Zona Sul

Diário de Pernambuco
Concursos

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Crianças viram deputados por um dia


Mais de 400 mil alunos participaram da sessão
Mais de 400 alunos do ensino fundamental de todo o País participaram nesta quinta-feira de sessão do Câmara Mirim. Os estudantes votaram três projetos de lei selecionados entre 600 apresentados por crianças no site www.plenarinho.gov.br. Richard Santos Oliveira, de São José dos Campos (SP), apresentou uma proposta sobre o reaproveitamento da água da chuva; João Pedro de Souza Mello, de Brasília (DF), apresentou um projeto que proíbe fumo perto de crianças; e Carlos Marcus da Silva, de Iracema (CE), apresentou proposta para reformular os Conselhos Tutelares. Leia mais aqui.

Câmara aprova nível superior para professores

. O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou ontem o projeto de lei que exige nível superior, com licenciatura, dos professores que atuarão na educação básica (educação infantil e ensinos fundamental e médio). A matéria, aprovada na forma do substitutivo do deputado Iran Barbosa (PT-SE), será enviada para votação no Senado.

A principal mudança no texto final foi garantida com a aprovação de um destaque do PP que manteve no substitutivo a possibilidade de contratar professores com ensino médio para a educação infantil onde comprovadamente não existirem formados em nível superior. A regra vale também para as quatro séries iniciais do ensino fundamental.

Originalmente, o substitutivo de Iran Barbosa, pela Comissão de Educação e Cultura, retirava do texto essa necessidade de comprovar a inexistência de formados em nível superior e não previa a possibilidade de contratação de professores com ensino médio para as primeiras séries do fundamental.

Devido à aprovação do destaque, foi retirado do texto final o dispositivo do projeto apensado (PL 5395/09, do Executivo) que permitia ao Ministério da Educação estabelecer nota mínima no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como pré-requisito para ingresso em cursos de graduação para formação de docente.

Ajustes à Constituição

Do projeto original da deputada Ângela Amin, Iran Barbosa aproveitou ainda ajustes na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) necessários após a promulgação da Emenda 53, que criou o Fundeb. Um deles define a educação infantil como aquela ministrada até os cinco anos de idade, pois a partir do sexto ano, a criança passa a cursar o primeiro ano do ensino fundamental.

Despesas com nova prova do Enem superam R$ 130 milhões

Da Agência Brasil

As despesas com a nova prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já superam R$ 130 milhões. O contrato assinado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e pelo consórcio formado pelo Cespe e pela Cesgranrio apresenta um custo operacional de R$ 99,9 milhões.

A contratação foi feita em caráter emergencial e não teve licitação. Segundo extrato de dispensa de licitação publicado pelo Inep, cabe ao consórcio a responsabilidade de operacionalizar os procedimentos relativos ao Enem 2009.

A contratação do consórcio foi feita após o vazamento da prova do Enem em 1º de outubro. Somados os valores de custo operacional e da impressão da nova prova pela RR Donnelly Moore (R$ 31,9 milhões), os valores já ultrapassam R$ 130 milhões. Além da impressão das provas, a gráfica será responsável pelo manuseio, pela embalagem, rotulagem e entrega dos cadernos de provas do Enem aos Correios.
O contrato anterior tinha um custo total de R$ 116 milhões e o Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção (Connasel), responsável pela realização da prova antes do vazamento já havia recebido do MEC cerca de R$ 38 milhões.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Metade da população brasileira sem acesso à rede de esgoto

Metrópoles são as mais castigadas pela falta de saneamento

Da Agência Brasil

A agenda do saneamento básico no Brasil é vergonhosa, na opinião do presidente do Instituto Trata Brasil, Raul Pinho. Ele lembrou que o setor ficou esquecido por cerca de 20 anos, até a criação do Ministério das Cidades em 2003, e que nesse período os centros urbanos cresceram em taxas exponeciais por conta da migração do campo. Segundo o instituto, atualmente 50% da população brasileira não têm acesso à rede de esgoto. Outro agravante é que apenas um terço do esgoto produzido no país é tratado – os outros dois terços são jogados in natura em rios e praias.

Ao participar do 4º Seminário Internacional sobre Federalismo e Desenvolvimento, Pinho alertou que os problemas de saneamento no Brasil podem comprometer, inclusive, o bom acesso à água potável (94%). “O esgoto contamina a água. Para que ela seja tratada, você gasta mais dinheiro com produtos químicos e com energia”, disse. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgaram um estudo sobre diarréia. A doença é provocada, dentre outros fatores, pela falta de coleta e tratamento de esgoto. O documento mostra que 1,2 bilhão de pessoas no mundo não dispõem de banheiro.

“O Brasil está em sétimo lugar nesse ranking da vergonha, junto com Bangladesh. Não dá para um país que quer ser destaque entre as maiores economias do mundo ter essa posição”, afirmou. Ele ressaltou que o acesso ao saneamento básico é um direito constitucional mas que os próprios brasileiros não valorizam essa agenda. Uma pesquisa encomendada pelo instituto ao Ibope revela que 60 milhões de pessoas em todo o país não sabem sequer o que é saneamento básico ou para onde vai o esgoto produzido nas residências.

Apesar de as regiões Norte e Nordeste apresentarem baixas taxas de cobertura, o foco no Brasil, de acordo com Pinho, devem ser as grandes metrópoles. Isso porque no interior o problema não é tão crítico, já que as casas são construídas distantes umas das outras. Mas, em favelas, o adensamento de pessoas faz com que os problemas de saúde se tornem críticos.


Brasil será "a grande história" de 2010, diz Financial Times

Um artigo publicado na edição desta terça-feira do jornal 'Financial Times' afirma que ''o Brasil é a potência do século 21 a se observar''. Assinado pelo comentarista Michael Skapinker, o artigo compara duas visões antagônicas do país - uma negativa, na qual se sobressaem problemas de violência e desigualdade social, e uma positiva, que ressalta uma economia pujante e plena de recursos naturais. Sem tomar partido por uma das visões, o comentarista diz que o país será ''a grande história do próximo ano''.

''O Brasil acabava de passar por uma crise financeira em boa forma. O país estava sentado em uma vasta descoberta de petróleo em alto mar. Havia testemunhado a maior abertura de capital do mercado neste ano - os US$ 8 bilhões colocados em bolsa pelo braço brasileiro do Santander. Seria também a sede de dois dos maiores eventos esportivos do mundo: a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.''

Para Skapinker, o outro lado da moeda seria a violência. ''Não pude esconder certa palpitação em relação às desvantagens conhecidas do Brasil'', diz ele, citando relatos e notícias de furtos, assaltos à mão armada a sequestros.

''Não vi nada disso'', diz o comentarista, que recentemente fez sua primeira visita ao Brasil. 'Mas dois dias após minha saída do país, enfrentamentos armados entre gangues rivais no Rio custaram pelo menos 14 vidas, incluindo as de três policiais mortos quando o helicóptero em que estavam foi abatido.' (BBC Brasil)

sábado, 17 de outubro de 2009

Wilma entregou obra em Apodi já inaugurada pelo presidente Lula

Em momentos de pré-campanha eleitoral, vale tudo para chegar ao eleitor.

Até mesmo inaugurar a mesma obra duas vezes.

Foi o que aconteceu ontem, em Apodi, quando a governadora Wilma de Faria esteve inaugurando a unidade do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IFRN).
A obra foi inaugurada em setembro pelo presidente Lula,em solenidade realizada em Ipanguaçu, ocasião em que foram entregues ao povo cinco IFTs, inclusive o de Apodi.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Aos meus amigos professores!

O fim dos professores.


O ano é 2.209 D.C. - ou seja, daqui a duzentos anos - e uma conversa entre avô e neto tem início a partir da seguinte interpelação:

– Vovô, por que o mundo está acabando?

A calma da pergunta revela a inocência da alma infante. E no mesmo tom vem a resposta:

– Porque não existem mais PROFESSORES, meu anjo.

– Professores? Mas o que é isso? O que fazia um professor?

O velho responde, então, que professores eram homens e mulheres elegantes e dedicados, que se expressavam sempre de maneira muito culta e que, muitos anos atrás, transmitiam conhecimentos e ensinavam as pessoas a ler, falar, escrever, se comportar, localizar-se no mundo e na história, entre muitas outras coisas. Principalmente, ensinavam as pessoas a pensar.

– Eles ensinavam tudo isso? Mas eles eram sábios?

– Sim, ensinavam, mas não eram todos sábios. Apenas alguns, os grandes professores, que ensinavam outros professores, e eram amados pelos alunos.

– E como foi que eles desapareceram, vovô?

– Ah, foi tudo parte de um plano secreto e genial, que foi executado aos poucos por alguns vilões da sociedade. O vovô não se lembra direito do que veio primeiro, mas sem dúvida, os políticos ajudaram muito. Eles acabaram com todas as formas de avaliação dos alunos, apenas para mostrar estatísticas de aprovação. Assim, sabendo ou não sabendo alguma coisa, os alunos eram aprovados. Isso liquidou o estímulo para o estudo e apenas os alunos mais interessados conseguiam aprender alguma coisa.

Depois, muitas famílias estimularam a falta de respeito pelos professores, que passaram a ser vistos como empregados de seus filhos. Estes foram ensinados a dizer “eu estou pagando e você tem que me ensinar”, ou “para que estudar se meu pai não estudou e ganha muito mais do que você” ou ainda “meu pai me dá mais de mesada do que você ganha”. Isso quando não iam os próprios pais gritar com os professores nas escolas. Para isso muito ajudou a multiplicação de escolas particulares, as quais, mais interessadas nas mensalidades que na qualidade do ensino, quando recebiam reclamações dos pais, pressionavam os professores, dizendo que eles não estavam conseguindo “gerenciar a relação com o aluno”. O professores eram vítimas da violência – física, verbal e moral – que lhes era destinada por pobres e ricos. Viraram saco de pancadas de todo mundo.

Além disso, qualquer proposta de ensino sério e inovador sempre esbarrava na obsessão dos pais com a aprovação do filho no vestibular, para qualquer faculdade que fosse. “Ah, eu quero saber se isso que vocês estão ensinando vai fazer meu filho passar no vestibular”, diziam os pais nas reuniões com as escolas. E assim, praticamente todo o ensino foi orientado para os alunos passarem no vestibular. Lá se foi toda a aprendizagem de conceitos, as discussões de idéias, tudo, enfim, virou decoração de fórmulas. Com a Internet, os trabalhos escolares e as fórmulas ficaram acessíveis a todos, e nunca mais ninguém precisou ir à escola para estudar a sério.

Em seguida, os professores foram desmoralizados. Seus salários foram gradativamente sendo esquecidos e ninguém mais queria se dedicar à profissão. Quando alguém criticava a qualidade do ensino, sempre vinha algum tonto dizer que a culpa era do professor. As pessoas também se tornaram descrentes da educação, pois viam que as pessoas “bem sucedidas” eram políticos e empresários que os financiavam, modelos, jogadores de futebol, artistas de novelas da televisão, sindicalistas – enfim, pessoas sem nenhuma formação ou contribuição real para a sociedade.

Ah, mas teve um fator chave nessa história toda. Teve uma época longa chamada ditadura, quando os milicos colocaram os professores na alça de mira e quase acabaram com eles, que foram perseguidos, aposentados, expulsos do país, em nome do combate aos subversivos e à instalação de uma república sindical no país. Eles fracassaram, porque a tal da república sindical se instalou, os tais subversivos tomaram o poder, implantaram uma tal de “educação libertadora” que ninguém nunca soube o que é, fizeram a aprovação automática dos alunos com apoio dos políticos... Foi o tiro de misericórdia nos professores. Não sei o que foi pior – os milicos ou os tais dos subversivos.

– Não conheço essa palavra. O que é um milico, vovô?

– Era, meu filho, era, não é. Também não existem mais...

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Câmara pode votar hoje o vale-cultura

O projeto do vale-cultura é o destaque da pauta das sessões ordinárias do plenário da Câmara para hoje. Ele cria o Programa de Cultura do Trabalhador, que concede aos trabalhadores das empresas participantes um vale de R$ 50, que deverá ser usado na compra de produtos culturais, como, por exemplo, livros e ingressos para cinemas, teatros e museus. As informações são da Agência Brasil.
Para ter direito ao benefício, optativo, os empregados que ganham até cinco mínimos terão descontados dos seus salários até 10% do valor do vale. Trabalhadores com remuneração superior a cinco mínimos também poderão receber o vale, mas apenas quando todos aqueles com a faixa salarial mais baixa já tiverem sido contemplados. Nesse caso, o desconto no salário vai variar de 20% a 90% do vale.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Católicos e evangélicos arrecadam R$ 1,7 bilhão por mês

As igrejas evangélicas no Brasil recolhem por mês entre seus fiéis mais de R$ 1 bilhão - precisamente R$ 1.032.081.300,00. A Igreja Católica, que tem mais adeptos espalhados pelo País, arrecada menos: são R$ 680.545.620,00 em doações. Os números estão na pesquisa sobre religião realizada pelo Instituto Análise com mil pessoas em 70 cidades brasileiras.

Entre os evangélicos, as igrejas que mais recolhem são as pentecostais, como a Assembleia de Deus, e neopentecostais, como a Universal do Reino de Deus. Seus cofres engordam mensalmente com doações que chegam a quase R$ 600 milhões. Cada fiel doa em média R$ 31,48 - mais que o dobro das esmolas que os católicos deixam nas suas paróquias (R$ 14,01).

Os evangélicos não-pentecostais, chamados de históricos (presbiterianos e batistas, por exemplo), são os mais generosos. Doam em média R$ 36,03, o que dá um faturamento mensal de R$ 432.576.180,00 às igrejas.

E para onde vai tanto dinheiro? Alberto Carlos Almeida, diretor do Instituto Análise, aposta que os políticos são um dos destinatários. "Parte desse dinheiro é usada para financiar campanhas. É só reparar no aumento dos candidatos evangélicos e no fato de os não-evangélicos cortejarem as igrejas nas campanhas."

A pesquisa mostra que o número de católicos continua em declínio. No Censo de 2000, eram 73,77% da população ante 15,44% de evangélicos. Nessa pesquisa, o número de católicos caiu para 59% e o de evangélicos subiu para 23%. "Ou seja, dois em cada dez brasileiros são evangélicos", diz Almeida. (Informações O Estado de S.Paulo)

DIA DAS CRIANÇAS

Há alguns anos,as lembranças da minha infância eram a referência maior a qual eu recorria na hora de falar sobre crianças. A vida tratou de mudar isso e agora, ao pensar no dia das crianças, primeiramente lembro dos meus filhos (Yuri,Yulianna e Lemuel).

Mais precisamente, penso em aproveitar toda a beleza contida na infância deles e na melhor forma de tornar essa época uma experiência positiva e enriquecedora para todos eles.Ao longo dessas considerações, acabo sempre por imaginá-los no futuro, quando eles já estiverem adultos e um dia, assim como faço hoje, recordarem da própria infância que tiveram.

Nos momentos desse porvir,desejo com muito entusiasmo ter cumprido o meu papel de orientador e ver que meus filhos tornaram-se pessoas com capacidade de escolher,sem temor,os caminhos que consideram melhor para eles.

domingo, 11 de outubro de 2009

Boa noite, Carlos Drummond de Andrade

Amar

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar,desamar, amar?
Sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma
ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor,
e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede
infinita.

O PRINCIPAL DESAFIO DO BRASIL

Analisando hoje cedo os números apresentados sobre os índices de desenvolvimento humano, IDH,do Brasil constata-se que o principal desafio Brasileiro é a distribuição de renda.

Leia estes dados:

5,9% foi o AUMENTO
da quantidade de miseráveis em São Paulo

4,8% foi a QUEDA
da miséria no resto do País

O que isto significa?

No estado de São Paulo tem menos pessoas comprando.


Significa que alguns estão comprando mais. A renda está se concentrando no estado de São Paulo,pois a economia cresceu.

Alguem pode perguntar :O que eu tenha a ver com isso?

Tem tudo a ver.

Isto significa que se você ou seu filho consntruir um restaurante vai ter menos clientes em potencial.Porque o dinheiro circula na sociedade.

Quando uma pessoa compra em alguma loja do bairro o dono da loja ganha o dinheiro, ele pode gastar com o mecânico e o mecânico pode ir almoçar no seu restaurante.

Mas se o dinheiro fica concentrado nas mãos de poucos o que acontecerá?


Ele circulará menos. O dinheiro não chegará ao pobre, não chegará ao dono da loja e não chegará ao mecânico. Portanto, não “aquecerá” a economia.

Deu em o Estado de São Paulo

Filha de Zelaya acompanhou golpe embaixo da cama

Testemunha de invasão da casa, 'Pichu' gravou imagens no celular e enviou ao embaixador na OEA
De Lourival Sant' Anna:
Calça jeans, blusa branca, sandálias sem salto, magra e de rosto comprido, Xiomara, de 24 anos, passaria totalmente despercebida se não fosse por um detalhe: ela é a filha do presidente deposto Manuel Zelaya. Mas hoje ela não é apenas isso.
É também a única testemunha - além do pai, obviamente - da invasão de sua casa pelos militares, e de um dado importante do ponto de vista jurídico: o horário em que a captura se deu.
Eram 5h20 quando Xiomara começou a disparar telefonemas, denunciando o golpe. A Constituição hondurenha impede a execução de mandados de busca e apreensão entre 18 horas e 6 horas.
A lei prevê que sejam executados pela polícia, mas sua casa foi invadida por cerca de 200 soldados, que desarmaram, espancaram e deixaram ensanguentados, no chão, os seis guardas de honra que faziam a segurança da casa.
Zelaya, ciente de que poderia sofrer um golpe, havia pedido reforços. Mas, naquela noite, em vez dos habituais 12 agentes, o efetivo da Guarda de Honra tinha sido reduzido a 6. E uma patrulha da polícia que viera para o reforço saíra de madrugada, para atender a um chamado.
Nas semanas que precederam o golpe, Zelaya estava dormindo em quatro casas diferentes, para despistar os militares. Mas, nos últimos dias, o comandante das Forças Armadas, general Romeo Vásquez, telefonou várias vezes para a primeira-dama, Xiomara (mãe e filha têm o mesmo nome), assegurando-lhe que nada aconteceria.
Vásquez havia sido destituído por Zelaya por recusar-se a realizar a consulta popular - atribuição das Forças Armadas -, e restituído pela Corte Suprema de Justiça. Ele chegou a dizer a Xiomara que o presidente seria bem-vindo ao Estado-Maior, para "tomar um cafezinho".
A primeira-dama acreditou no general e convenceu o marido de que não havia perigo em voltar a dormir em casa. "Minha mãe se sente culpada por isso", conta a filha, conhecida pelo apelido "Pichu".
Na madrugada do golpe, dia 28 de junho, Xiomara ligou a TV e viu seu pai falando ao vivo no Canal 8, entre 1 e 3 horas, sobre a consulta popular que pretendia realizar naquele domingo. Mandou um SMS para o pai, que lhe respondeu: "Vá dormir e me desperte às 6 horas."
Xiomara, que continuava dormindo noutra casa, por segurança, chegou às 5 horas na casa de seus pais. Sua mãe estava em Olanto, o departamento de onde vem a família, em campanha para a consulta.
Às 5h20, Xiomara tomava banho quando ouviu disparos. Seu pai veio até seu quarto e gritou: "Pichu, os militares chegaram. Estão me dando o golpe. Vista-se." Ela trancou a porta do quarto e telefonou para Gilberto Ríos, dirigente do Bloco Popular, que apoiou a mobilização pela consulta.
Estudante de comunicação e publicidade, Xiomara ligou também para a Rádio América, uma das mais ouvidas, mas lhe disseram que estava enganada, que não havia golpe algum, e bateram o telefone.
Ligou para a Rádio Globo e para o Canal 36, que apoiavam Zelaya, mas ninguém atendeu. "Eu não sabia, mas os militares as tinham tirado do ar às 5 horas."
Sua ajudante de ordens (cada membro da família tem um), tenente do Exército, trancou as portas e portões da casa, que se mantinham abertos para que os guardas de honra transitassem. Os soldados tentaram entrar pela frente e não conseguiram. Foram para os fundos e arrombaram a tiros o portão.
Eram 5h30. Ela ouviu um militar gritar para o seu pai: "Mãos para cima. Entregue o celular." Seu pai respondeu: "Se sua ordem for disparar, dispare." Xiomara diz ter acreditado que era essa a ordem, e temeu que nunca mais veria seu pai.
Zelaya foi levado de pijama. Os soldados vasculharam a casa toda. Xiomara escondeu-se debaixo da cama. Eles entraram no seu quarto, viram sua ajudante de ordens e se foram.
"Fiquei 40 minutos debaixo da cama, até que minha ajudante veio e me disse que todos tinham ido", conta. Então, ela tentou telefonar para Carlos Sosa Coello, o embaixador de Honduras na OEA, em Washington, mas as chamadas para fora do país estavam bloqueadas. Xiomara filmou com o celular as portas arrombadas e enviou como mensagem ao embaixador.
A TV estatal chegou a transmitir uma legenda no rodapé da tela noticiando o golpe, mas quando a apresentadora ia fazer o anúncio, os militares interromperam a programação e assumiram o comando da emissora, relata Xiomara.
Ela tentou falar com a mãe, mas seu celular não atendeu. Telefonou para Zoe, sua irmã de 33 anos, que estava grávida do segundo filho. Zoe conseguiu falar com a mãe às 5h50 e avisou também os outros dois irmãos, Héctor e José Manuel.
Zelaya reapareceu por volta das 15 horas, em San José da Costa Rica, depois de ser despejado de um avião da Força Aérea na pista de pouso.

BELEZA


MOSCOU

Comparação entre salários de professores

No ano passado, a OIT e a UNESCO haviam publicado o ranking mundial de salários de professores. O Brasil aparecia como no ante-penúltimo lugar. Perdemos apenas para o Peru e a Indonésia. O salário anual médio de um professor na Indonésia é US$ 1.624, no Peru US$ 4.752 e no Brasil, US$ 4.818, o equivalente a R$ 11 mil.

BRASIL
Um brasileiro em início de carreira, segundo a pesquisa, recebe em média menos de US$ 5 mil por ano para dar aulas. No topo da carreira e após mais de 15 anos de ensino, um professor brasileiro pode chegar a ganhar US$ 10 mil por ano.

ARGENTINA
A Argentina paga US$ 9.857 por ano aos professores, cerca de R$ 22 mil, exatamente o dobro do Brasil.

ALEMANHA
Na Alemanha, um professor com a mesma experiência de um brasileiro, ganha, em média, US$ 30 mil por ano, mais de seis vezes a renda no Brasil.

PORTUGAL
Em Portugal, o salário anual chega a US$ 50 mil, equivalente aos salários pagos aos suíços.

CORÉIA
Na Coréia, os professores primários ganham seis vezes o que ganha um brasileiro.

FINLÂNDIA

Na Finlândia, melhor avaliação de desempenho de alunos do mundo (segundo o PISA), um professor em fim de carreira chega a ganhar US$ 60 mil por ano, o equivalente a R$ 9 mil por mês".


ALUNOS POR TURMA
A OIT e a Unesco dizem que o Brasil é um dos países com o maior número de alunos por classe. Segundo o estudo, existem mais de 29 alunos por professor no Brasil, enquanto na Dinamarca, por exemplo, a relação é de um para dez.

sábado, 10 de outubro de 2009

Nobel de Obama é muito mais pelo que ele pode fazer do que pelo que tenha feito

Há dois anos Barack Obama era um ilustre desconhecido senador pelo estado norte-americano de Illinois. Há um ano ele foi eleito o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Hoje ele acordou Nobel da Paz. Não há dúvidas de que Obama também é o cara. Acontece, porém, que a escolha de seu nome para o Nobel 2009 gerou muito mais polêmica na comunidade internacional que sua eleição para presidente. Muito estão se perguntando: ele merece?

Não obstante ter feito claras manifestações pela paz, o governo de Obama ainda é muito recente para superar a cultura belicista ianque, alimentada pelos chamados ‘falcões’, ao que parece, ainda com muita influência sobre a Casa Branca.

O atual presidente herdou duas guerras em andamento do antecessor Bush filho, Iraque e Afeganistão. No Iraque, decretou o fim da guerra e fez um calendário de retirada das tropas. Já no Afeganistão, anunciou que não reduzirá as tropas e ainda pode assinar essa semana decreto enviando mais soldados.

Com relação à Cuba, o governo Obama liberou viagens de norte-americanos ao país e aumentou o limite de remessas de dólares de cubanos radicados nos EUA a seus familiares. Mas renovou o decreto que mantém o embargo econômico e penaliza a ilha há mais de 40 anos.

A gestão também fechou a kafkiana prisão de Guantánamo, em Cuba. Mas quer instalar sete bases militares na Colômbia, ameaçando a soberania sul-americana.

Dá para notar as contradições de um governo que convive internamente com gente que há anos não faz outra coisa além de brincar de War.

Os feitos de Obama, por si só, não justificariam o Nobel. Mas o comitê organizador parece, pela primeira vez, ter optado mais por reforçar politicamente a posição pacifista de uma personalidade e apostar no que ela pode fazer do que propriamente homenageá-la pelo que já tenha feito. O prêmio fortalece o novo presidente no seu enfrentamento aos ‘falcões’ e viúvas de Bush.

A escolha pode ter soado estranha para quem está acostumado a ver o Nobel da Paz indo parar nas mãos de figuras incontestes como Madre Teresa de Calcutá, reverendo Desmon Tutu, Nelson Mandela e outros que realizaram grandes feitos.

Mas não esqueçam que, em 1906, outro presidente dos EUA ganhou a comenda da paz. Falo de Theodore Roosevelt, aquele cuja política exterior ficou conhecida como “big stick” (cacete grande, em português claro).

Nem precisa dizer mais nada, né?!

Lula diz que roubo da prova do Enem foi para prejudicar Governo


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem (9) que o roubo das provas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) pode ter sido cometido por alguém com interesse em prejudicar o governo ou que tenha sido prejudicado pelo exame, informou a Agência Brasil.

“Se a pessoa pensou que estava prejudicando o governo, ela foi na verdade irresponsável porque prejudicou a tentativa de milhões de jovens para entrar na universidade”, disse Lula.

Segundo ele, ainda não há como afirmar “a serviço de quem” isso aconteceu. “Eu não sei quem é que se sente prejudicado pelo Enem. Você podia me ajudar nisso, fazer uma investigação de quem é que se sentia prejudicado, porque pode ter a ver com quem roubou a prova”, disse Lula dirigindo-se a jornalistas.

“Eu acho que o Enem é daqueles incidentes que ninguém quer. Eu, sinceramente, não posso acreditar que, no momento que está vivendo o Brasil, alguém tivesse a intenção de roubar uma prova do Enem e levá-la à imprensa”, disse Lula.

Marina recebe hoje em Mônaco seu quinto prêmio internacional

A senadora Marina Silva (PV-AC) recebe neste sábado, 10, em Mônaco, o Prêmio Mudanças Climáticas, oferecido pela Fundação Príncipe Albert II de Mônaco, em reconhecimento à sua contribuição para projetos na área do meio ambiente, ações e iniciativas conduzidas sob a ótica do desenvolvimento sustentável.
Anualmente, a fundação premia pessoas ou instituições com atuação especial e trabalho reconhecido em favor do meio-ambiente e da preservação do planeta nos três domínios de ação considerados prioritários pela instituição internacional: a mudança climática; a preservação da biodiversidade; o acesso à água e a luta contra a desertificação.

Além de ser agraciada com um troféu especialmente criado para a ocasião, a senadora receberá da Fundação um prêmio de 40 mil euros (quarenta mil euros). A entrega do prêmio, pelo Príncipe Albert II de Mônaco, será às 18 horas (hora local), no Fórum Grimaldi.

69 ANOS DO MITO JOHN LENNON

"Wilma foi o apagão da política econômica do estado"


Rosalie de Arruda Camara

O papo prometia. À mesa, o convidado Bira Rocha. Para iniciar a conversa na tarde quente de Ponta Negra, Restaurante Camarões, uma garrafa de vinho branco, refrigerantes e água de coco, para aliviar o calor e a garganta. O convidado toma água e petisca ostra natural. Impaciente e organizado, bota na mesa um envelope de mapas e gráficos e já dispara a metralhadora giratória em cima do governo estadual e do governo federal. "O nordeste tem perdido com a renúncia fiscal e cresce com o bolsa família . Isso representa um atraso", argumenta.

A prosa promete ser quente também.

O empresário Abelírio Vasconcelos da Rocha, ou Bira Rocha, ex-presidente da poderosa Federação das Indústrias do RN, a Casa da Industria, é uma personalidade polêmica. Paraibano de Cruz de Espírito Santo, 65 anos chegou ao estado ainda sem balbuciar as primeiras palavras, no primeiro ano de vida, na companhia dos pais, Marluce e Adauto Rocha. Em Natal, encontrou um terreno fértil para crescer. Estudou, fez amigos, constituiu família e um patrimônio financeiro. Comprou a Fábrica Josan em sociedade com Ismael Wanderley, na época genro de Aluízio Alves, fundou a Lanila e hoje é o responsável pela Cabo Telecom, além de ser criador de bode das raças Dorper.

Dessa forma, logo assumiu a condição de cidadão norteriograndense.

Não. A Assembleia nunca lhe outorgou o título. "Não sou simpático por lá", brinca. Natal e Mossoró, sim, já reconheceram seus méritos e hoje ostenta titulo de cidadão das maiores cidades do estado.

E a representação máxima do estado...? "Pensei muitas vezes em ser governador. Anos passados, recebi convite de Geraldo Melo, mas não tenho competência para pedir voto", confessa.
Depois de uma militância no PMDB filiou-se ao Democratas. Com uma ressalva, nunca ser candidato a nada, alertou ao senador José Agripino.

Foi desilusão com o serviço público? Não, a experiência como servidor público foi gratificante. É muito bom fazer algo pelas pessoas. "Quando trabalhava com Aluízio em Brasília na elaboração do projeto de Transposição de Águas do São Francisco, aquela pressão para cumprir datas e prazo, e quando finalmente fui entregar o projeto, eu quase chorei", revela.

E a Transposição sai de fato, Bira? "Sim, basta chegar uma grande seca".

Em compensação, a experiência contrária também foi vivida e nunca esquecida pelo empresário. No primeiro governo de Garibaldi Filho, Bira Rocha era uma espécie de "Primeiro Ministro". Da sua cabeça saiu o projeto de reforma que viraria o Rio Grande do Norte de cabeça para baixo. "Garibaldi teve coragem de fazer uma reforma que viabilizou o estado", diz com convicção.

Porém, a iniciativa que fechou diversas companhias e empresas deixou seqüelas. O empresário confessou que à época da reforma foi com sua mulher Carmem Lúcia jantar no restaurante Chaplin, Praia do Meio, e optou por ficar nas mesas externas. Ao entrar sentiu olhares de hostilidade. "E eu pensava que estava fazendo um bom serviço", confessa. Para logo justificar. "Era os jabutis que perderam o galho"!.

Pouco modesto, Bira afirma que as medidas tomadas pelo então governador Garibaldi conseguiu equilibrar as finanças do estado. "Deixamos o orçamento do estado equilibrado". A arrecadação girava em torno de R$ 2 bilhões, dos quais, R$ 200 milhões iam para investimentos, ou seja 10% do que era arrecadado. E compara. "O governo Wilma arrecada algo em torno de R$ 6 bilhões e continua investindo os mesmos R$ 200 milhões, ou seja, 3,3% da arrecadação", dispara a metralhadora giratória para o governo atual.

Para Bira, o governo Wilma não tem uma política de desenvolvimento. E a agenda do crescimento, perguntamos?

"Falácia! Wilma foi o apagão da política econômica do estado", alfineta. E então, o Rio Grande do Norte não é viável?

"Digo que depois da Bahia, o Rio Grande do Norte é o estado mais viável do nordeste. Nós temos dois grandes produtos, sol e vento que constituem energia limpa", diz.

Crítico, Bira diz que os políticos só pensam em eleição. Para ele, os governantes gastam tempo discutindo os sucessores. "E o estado não sai da tela da televisão, do radar", argumenta.

Vejam o aeroporto de São Gonçalo. Esse contrário à ordem. Natal é a única cidade que quer parceiros para construir o aeroporto. "O Governo deveria construir o aeroporto e depois entregar para uma empresa administrar". Assim são os exemplos. Bira defende uma reforma no Augusto Severo. "A copa vem e ninguém fala nisso".

Enquanto os países organizados do planeta discutem fontes de energia alternativa em Copenhagen, (Bira se refere à Conferência que vai discutir as Condições Climáticas do planeta - Cop 15 ) os políticos do RN deviam estar defendendo a inclusão de 10% dos recursos do Pré-sal para investimentos em fontes de energia limpa. "O Rio Grande do Norte tem sol e vento em abundância". Podem se transformar em energia renovável, fotovoltaica e eólica.
E porque o senhor não sugere ao deputado Henrique Alves relator do Pré-Sal? "Sou proibido de entrar na TV Cabugí", diz. Entretanto, não descarta a possibilidade das organizações classistas encamparem a sugestão. Perguntado se voltaria a disputar a presidência da FIERN, disse que não. "Nunca voltei à FIERN de onde saí um dia antes de acabar o mandato por imposição", relembra e acrescenta. "Nem minha foto quero na galeria dos ex-presidentes."

E com o Dr. Fernando Bezerra porque o rompimento de uma amizade tão longa? "Amizade é uma rodovia de mão dupla. Quando uma mão é interrompida...", responde enigmático.
Para Bira Rocha, Aluízio Alves é o político do RN que será lembrado daqui a 50 anos. Na opinião do empresário, o senador José Agripino fez a melhor gestão como prefeito e Garibaldi Filho como governador. "Agripino fez a cidade e o programa de adutoras é indiscutível", afirma.

E a prefeita Micarla, Bira Rocha? "Micarla ainda não disse pra que veio. Mas, é cedo para avaliar", argumenta, "ainda dou um crédito para ela", diz sorridente.

Perguntado quem seria eleito governador do Estado, não pestanejou. "Se a senadora Rosalba Ciarlini se aliar ao ex-prefeito Carlos Eduardo a chapa é quase imbatível. Embora Robinson Faria também seja um bom nome", diz. Na opinião de Bira, pelas experiências administrativas demonstradas, Rosalba e Iberê apresentam as melhores condições.

E Robinson Faria? É um bom deputado. Mas ficou esperando por Wilma. Atrelou seu projeto político a ela e foi um erro.

Wilma por sua vez dividiu o estado entre 4 candidatos. Passou todos esses anos alimentando os desejos dos quatros, mas recentemente, um quinto. Henrique Alves. "Wilma entregou uma fatia do governo a Henrique e disse: Toma, se vira nos trinta".

Para Bira, quem quiser ganhar as eleições no RN tem que se aliar a Garibaldi, Agripino e Wilma, ou ser um fenômeno. "Faz 20 anos que Wilma se elege com o 1 ou 2 orçamentos na mão". Ele vai mais além ao afirmar que a governadora está mesmo em uma saia justa. "Wilma tem que se eleger, eleger a filha e o filho. Na verdade, eles buscam a imunidade parlamentar".

O ex-presidente da Fiern ainda falou sobre política nacional. Elogiou a política econômica do governo Lula embora diga "se for para dar méritos, vamos dar a Fernando Henrique Cardoso". "O complexo de vira lata acabou", se referindo à nova postura que o Brasil conquistou inclusive no mercado internacional. "A gente não pode ter uma política de desenvolvimento para o Sul e outra para o Piauí", diz.

Na opinião de Bira, "O presidente Lula é o cara, mas entre ele ser o cara e eu votar no candidato dele é outra coisa." Para ele, "Se Dilma ganhar ela será uma interrogação maior do mundo".
Amante incondicional do ABC Futebol Clube, time do qual foi dirigente por 10 anos. "Foram 10 anos e sete vezes campeão", propaga orgulhosamente.

Bira defende a Copa do Mundo em Natal, mas não concorda com as demolições nos estádios. "Ninguém mede demolição", diz. Segundo Bira, se as demolições acontecerem "Wilma entrará no governo como guerreira e sairá como demolidora".
Correio da tarde

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Há quase R$ 1 bi em consignados no RN


Há nove anos, o aposentado Santino Alves, 78, faz empréstimo consignado. O primeiro, no valor de R$ 500, ele fez para ajudar a filha Luzia a montar seu negócio, uma pequena lanchonete em Cidade da Esperança. Seu Santino faz parte de um universo de milhares de potiguares que já movimentaram quase R$ 1 bilhão em crédito consignado desde 2006. Somente de janeiro a setembro deste ano, foram 272.080 operações nessa modalidade, que somaram R$ 366,2 milhões. Na semana passada, o governo federal reduziu a taxa de juros desse tipo de empréstimo de 2,5% para 2,34% ao mês, mas a operação continua sendo desaconselhada pelos especialistas.


Na opinião do economista Zivanilson Teixeira e Silva, o que tem acontecido desde 2006 é uma "manipulação" do governo para que os idosos recorram a esses empréstimos. Com as recentes quedas nas taxas, esse estímulo ao acesso ao crédito tem sido cada vez maior. "Os idosos se acostumaram a pedir empréstimos e as vezes nem precisam de dinheiro, mas como já existe o caminho trilhado para essa operação, recorrem a ela. Nosso conselho é só ir atrás de empréstimo consignado em caso de extrema necessidade, porque quem está nessa idade não pode estar se preocupando com dívidas e bancos", adverte.

Entretanto, essa é uma modalidade de crédito que só cresce entre os aposentados norte-rio-grandenses. Segundo dados da Previdência Social, em 2006 foram 100.401 operações para R$ 107,9 milhões emprestados. Em 2007, esse índice subiu para 213.465 empréstimos e R$ 260,6 milhões. Já no ano seguinte a Previdência registrou 235.320 empréstimos em folha, o que equivalem a R$201,2 milhões. De 2006 pra cá foram assinados 821.266 contratos e um montante de R$ 936 milhões.

Juros pesam

Depois de alguns anos do primeiro empréstimo, seu Santino fez um de R$ 1.700 e dividiu em 36 parcelas de R$ 90,24, o que totalizou um débito de R$ 3.248,64 - quase o dobro do valor solicitado. Luzia reconhece que o pai sente no bolso o peso dos juros. Segundo ela, antes mesmo de terminar oempréstimo, o banco liga oferecendo novo crédito. "Os juros são muito altos, meu pai termina pagando o dobro do que pediu ao banco", reclama.

As mudanças recentes na taxa de juros indicam que os empréstimos consignados para aposentados e pensionistas ficarão mais tentadores. No último dia 30 o governo federal reajustou os juros tanto para o empréstimo consignado quanto para o cartão de crédito. Para as operações com crédito consignado em contas pessoais, os juros ficam em 2,34% ao mês e, para o cartão de crédito, em 2,36%. Antes os percentuais eram de 2,5% para o empréstimo pessoal e de 2,5% para o cartão de crédito.

Blog do Prof. Ozamir Lima - Designer: Segundo Freitas